Belivaldo Chagas emite nota de pesar pelo falecimento do ex-governador João Alves Filho

O governador Belivaldo Chagas emitiu nota de pesar pelo falecimento do ex-governador de Sergipe João Alves Filho. Ele foi internado na tarde da última quarta-feira (18) na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Sírio-Libanês, localizado em Brasília (DF), onde residia atualmente, após sofrer uma parada cardíaca. Ele faleceu na madrugada desta quarta-feira (25), aos 79 anos.

João Alves governou Sergipe por três vezes; foi prefeito da capital em dois mandatos e ministro do Interior.

O governador Belivaldo decretou luto oficial de três dias e colocou o Palácio Museu Olímpio Campos à disposição da família. O chefe do Executivo destacou o trabalho do ex-governador João Alves na vida pública.

“O ex-governador João Alves, sem dúvida alguma é uma das mais importantes referências políticas que temos no nosso estado. João Alves foi especial para Sergipe e realizou obras importantes para o povo sergipano. Estivemos em campos opostos ideológica e politicamente, mas sempre nos tratamos de maneira respeitosa. Tivemos uma relação institucional muito saudável. Seu legado será lembrado com apreço e respeito”, afirmou Belivaldo.

João Alves

O engenheiro civil e político filiado ao Democratas, João Alves Filho, natural de Aracaju, nasceu em 3 de julho de 1941. Iniciou na política em 1975, por intermédio do então governador de Sergipe, José Rolemberg Leite, que o nomeou prefeito de Aracaju. Filiado à Aliança Renovadora Nacional (Arena), tornou-se muito popular durante sua gestão, por se destacar como administrador competente e com dedicação às obras. Mesmo tendo a oposição em maioria na Câmara de Vereadores, ao longo de sua gestão, encerrada em 1979, não teve nenhum de seus projetos derrubados pela Câmara Municipal.

Já com grande prestígio político em Sergipe, foi muito bem-sucedido em sua primeira disputa para o governo do Estado, sendo eleito com 76% dos votos válidos, uma das mais expressivas votações em Sergipe, conseguindo, pela primeira vez em 30 anos, que o partido do governo vencesse na capital. Assumiu o cargo no dia 15 de março de 1983, encerrando a gestão em 1987.

Ministério do Interior (1987-1990)

Com a mudança da gestão do Executivo, em março de 1987, João Alves voltou às atividades empresariais e ajudou a reorganizar o Partido da Frente Liberal – PFL sergipano, no qual havia ingressado dois anos antes.

Em agosto de 1987, foi empossado no Ministério do Interior. Com a extinção do ministério, pela reforma administrativa, promovida por Fernando Collor de Melo, empossado presidente da República, em 15 de março de 1990, João Alves deixou o ministério.

Segundo e terceiro governo

Em 1990, venceu as eleições daquele ano. À época, sua vitória em Sergipe e a vitória dos pedetistas Albuíno Azeredo, no Espírito Santo, e Alceu Colares, no Rio Grande do Sul, marcaram o pleito por ser a primeira vez, em toda a história política brasileira, em que três negros foram eleitos governadores. O governador assumiu a gestão entre 1991 e 1994.

Em 2002, João Alves se candidatou novamente ao governo do Estado e conquistou seu terceiro mandato à frente do governo de Sergipe, o qual assumiu entre 2003 e 2006.

Último cargo público

Encerrando sua carreira política, em 2012, João Alves Filho, candidatou-se nas eleições municipais realizadas para a prefeitura de Aracaju. Foi eleito e empossado novamente na prefeitura após mais de trinta anos, em janeiro de 2013, gestão finalizada em 2016.

João e a literatura

Desde 1993, João Alves Filho é membro da Academia Sergipana de Letras. Também é autor de diversos livros, entre eles: No outro lado do mundo (1988), Irmãos de raça (s/d), O Caminhoneiro do Brasil (1994), Nordeste – estratégias para o sucesso (1997), Matriz energética brasileira (2003) e o mais recente Toda a verdade sobre a transposição do rio São Francisco (2008).

Comente: