Polícia elucida latrocínio que vitimou sargento da PM

A dupla se entregou ao forúm após investigações do Depatri que conseguiram identificá-los

Em coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira, 15, a Polícia Civil detalhou a prisão de G. I. dos S., mais conhecido como “Gueu”, de 21 anos, e a apreensão de um adolescente de 15 anos, cunhado de G., acusados de serem os autores do latrocínio que vitimou o sargento da PM Gilson Alves Sousa, ocorrido na manhã da última quinta-feira, 11, no bairro Veneza, zona norte de Aracaju. A dupla foi detida na tarde do último sábado, 13, por policiais civis do Departamento de Crimes contra o Patrimônio (Depatri), após se apresentarem em um fórum localizado na capital.

A ação é resultado do trabalho investigativo das equipes do Depatri, com o apoio de agentes do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), além de contar também com a participação de equipes da Polícia Militar na execução das atividades.

De acordo com a delegada do Depatri, Juliana Alcoforado, desde a constatação do crime, várias equipes iniciaram diligências no intuito de colher informações que pudessem chegar à identificação e autoria do latrocínio. “Com os nossos agentes em campo, além do apoio das equipes do Cope e da Polícia Militar, conseguimos ter acesso a imagens de câmeras de segurança próximas ao local que registraram toda a movimentação da dupla e isso acabou auxiliando na prisão dos autores”, disse a delegada.

Após a análise do material e buscas realizadas na localidade, os policiais chegaram à identificação da dupla. Em posse dessa informação, foram realizadas diversas buscas em possíveis locais onde poderiam estar, já que nos endereços cadastrais os suspeitos não se encontravam.

Tanto G. I. quanto o jovem de 15 anos, orientados por um advogado, se entregaram em um fórum localizado na zona oeste de Aracaju. A dupla foi encaminhada ao Depatri, onde foi ouvida pela delegada Juliana Alcoforado. Em depoimento, ambos confessaram o crime, alegando que queriam roubar o veículo pertencente ao sargento da PM. “Colhido os depoimentos, demos cumprimento aos mandados de prisão e de internação provisória expedidos pelo Poder Judiciário”, ressaltou a delegada. Ainda em depoimento, o adolescente ainda afirmou que entrou em luta corporal com o policial e por isso teria efetuado o disparo.

Apesar de terem confirmado a autoria do crime, ambos negaram-se a apresentar a localização da arma do policial e da arma utilizada no crime. Segundo Juliana Alcoforado, a dupla informou que se desfez das armas no momento da fuga e não souberam apontar o local exato onde elas estariam.

Ambos residem no loteamento Nova Liberdade, município de Aracaju, mesmo local onde o veículo subtraído da vítima foi recuperado. O adolescente já possui passagem pela polícia.

 

 

Presente na coletiva, o comandante do Policiamento Militar da Capital (CPMC), tenente-coronel Vivaldy Cabral, falou sobre a importância do trabalho integrado entre as forças de segurança pública, na resolução do crime e prisão dos envolvidos: “o trabalho da Segurança Pública nesse caso, especificamente, mostra que as polícias Militar e Civil estiveram empenhadas desde o momento em que o fato ocorreu, e isso foi fundamental para identificar esses indivíduos. O trabalho da PM e da PC foram suficientes para que essas pessoas se apresentassem voluntariamente, sabendo elas que seriam presas no mais curto espaço de tempo possível”.

 

 

 

Outra prisão

 

Ainda na tarde de sexta-feira, 12, um dia após o crime, um revólver calibre 38 foi apreendido após ter sido encontrado junto a uma mulher que afirmou ter recebido a arma de dois rapazes na manhã do crime.

 

A mulher teria cavado um buraco no quintal da residência e colocado o revólver. “Ao exibirmos as imagens dos suspeitos à mulher, ela disse que os rapazes que pediram para ela esconder a arma eram muito parecedidos com o das imagens, mas acreditava que não eram eles”, disse a delegada.

 

A arma será submetida à perícia técnica para saber se, de fato, foi a mesma utilizada no crime. O inquérito ainda possuem diligências a serem cumpridas, apesar do crime já ter sido esclarecido com os dois autores custodiados.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *