Polícia Civil elucida chacina em hotel abandonado na Orla de Atalaia e detalha prisão de suspeito

Ao todo foram cerca de cinco pessoas assassinadas no mesmo dia, duas delas por vingança

 

A Secretaria de Segurança Pública realizou na manhã desta segunda-feira, 27, uma coletiva de imprensa para detalhar a prisão de J. W. S. da M., 20 anos, acusado de ser um dos autores da chacina ocorrida em um hotel abandonado na Orla de Atalaia, no dia 21 de dezembro de 2016, evento que vitimou cinco pessoas.

A prisão ocorreu após operação da Polícia Civil de Sergipe, por meio do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), realizada na última quinta-feira, 23. J. W. foi preso durante buscas no Conjunto Parque dos Faróis, em Nossa Senhora do Socorro. A ação conjunta contou com a participação de agentes do DHPP, além de equipes da Delegacia de Roubos e Furtos (Derof), Divisão de Inteligência da Polícia Civil (Dipol), polícia judiciária da Força Nacional e também do Grupamento Tático Aéreo (GTA).

Segundo o diretor do DHPP, delegado Jonathas Evangelista, J. W. já vinha sendo procurado pela polícia dois dias após o fato, quando durante as investigações foi identificada a sua autoria.

Com o apoio dos trabalhos realizados pelos peritos da Coordenadoria Geral de Perícias (Cogerp), que levaram cinco horas analisando a cena de crime, os agentes conseguiram elucidar a dinâmica de toda ação criminosa. Segundo as investigações, tratava-se de duas gangues rivais. “Dois indivíduos teriam entrado no antigo prédio e executado três membros do grupo de J.W., que na hora do fato teria se escondido para não ser alvejado. Logo depois, ele teria aproveitado um momento de descuido da dupla e deflagrado vários tiros que resultaram na morte dos dois pertencentes à gangue rival”, explicou o delegado.

No momento da prisão, os policiais apreenderam com o acusado uma pistola calibre .40 que havia sido furtada de um policial civil.

No momento da prisão de J.W., as equipes também efetuaram a prisão de J. H. P., fugitivo do Complexo Penitenciário Manoel Carvalho Neto (Copemcan). Ele é acusado de participar do assassinato do torneiro mecânico E. B. B. F., 59 anos, ocorrido em 14 de janeiro de 2016, no Conjunto Parque dos Faróis, em Nossa Senhora do Socorro. Com J. H. também foi apreendido um revólver calibre 32 municiado.J. W. já tem passagem pela polícia pelo crime de roubo e estava em liberdade desde setembro do ano passado. A dupla se encontra custodiada na 4ª delegacia Metropolitana, à disposição do Poder Judiciário.

Comente: