Polícia Civil detalha investigação para prender suspeito de estuprar idosa em Capela

O suspeito de 23 anos estuprou a vítima que estava sozinha em casa

A Polícia Civil de Sergipe, nesta quinta-feira, 20, deu detalhes sobre a investigação que prendeu M. Antônio dos Santos, de 23 anos de idade, suspeito de estuprar e violentar uma idosa de 88 anos de idade no último dia 2 de fevereiro, no povoado Saúde, município de Capela. O crime teve ampla repercussão e chocou toda a comunidade local.

O atendimento a vítima foi feito inicialmente através do Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV), de Aracaju, realizado pela delegada Renata Aboim, que manteve contato com a PC de Capela e acionou a equipe de papiloscopista da Secretaria de Segurança Pública (SSP) para se deslocar até a cena do crime e fazer o levantamento do material genético do local visando chegar na identificação do suspeito.

De acordo com o delegado Wanderson Bastos, “Após acionar os papiloscopistas, começamos a fazer levantamento de campo entrevistando moradores da região. Levantamos três indivíduos que poderiam estar envolvidos com esses crimes bárbaros. As fichas onomásticas foram levantadas e a equipe de papiloscopistas fez o cotejo entre o material encontrado no cenário do crime, na casa da vítima, e as impressões negativou dois e positivou o M. Antônio”.  

M. antônio foi ouvido na Delegacia na presença dos advogados e alegou que nunca havia entrado na casa da vítima, não tinha intimidade alguma. Ao mostrar o laudo datiloscópico, comprovando que as digitais dele estavam no local, o suspeito afirmou que foi implantado.

A Polícia aplicou técnicas de ciência forense modernas. O levantamento datiloscópico não leva em consideração apenas a impressão digital, mas também a presença de aminoácidos, água, lipídios e sais minerais. É uma prova incontestável e 100% eficaz, matematicamente perfeita e não há como negar que o suspeito esteve na cena do crime e a violentou já que o material genético foi comprovado.

“O Suspeitou destelhou a casa, entrou ameaçou, torturou e violentou a vítima que só foi encontrada totalmente ensanguentada no dia seguinte pela sobrinha que acionou imediatamente o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Não há elementos que encaminhe a motivação do crime, a não ser o desejo sexual por pessoas com idade extremamente maior do que a dele, a gerontofilia. Não há ligação a crime de ódio, rancor ou vingança já que ele não tinha nenhum vínculo anterior com a idosa”, completou o delegado Wanderson.

O suspeito M.Antonio não tem passagem anterior pela Polícia, mas as investigações irão prosseguir para que eventuais vítimas possam através do Disque Denúncia, telefone 181, relatar qualquer abuso ou agressão sofridas. O sigilo é garantido para a proteção da vítima. 

Comente: