Governo reforça policiamento na capital com alunos do Curso de Formação de Soldados

Inicialmente, operação ocorre nos bairros Santa Maria, 13 de Julho, Salgado Filho e Jardins com objetivo de diminuir o número de ocorrências, principalmente de pequenos furtos e roubos

O governo do Estado, por meio da Polícia Militar de Sergipe (PM-SE), iniciou nessa segunda-feira, 05, uma operação para reforçar a segurança em pontos estratégicos da capital. Cerca de 250 alunos do Curso de Formação de Soldados (CFSd) da Corporação estão sendo empregados na ação, como parte do estágio supervisionado. Inicialmente, a operação ocorre nos bairros Santa Maria, 13 de Julho, Salgado Filho e Jardins.

De acordo com o comandante da Polícia Militar da Capital (CPMC), tenente-coronel Vivaldy Cabral, as áreas estratégicas foram escolhidas com base nos registros de chamadas do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) e da mancha criminal identificada pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP). “O objetivo é reforçar o policiamento nessas áreas para diminuir o número de ocorrências, principalmente de pequenos furtos e roubos nessas localidades. São localidades nas quais registramos, por meio do Ciosp, um número alto destes tipos de crime nas últimas semanas. São também áreas onde estão muitos pontos comerciais, como lojas e lanchonetes e por isso costuma ter um número grande de pessoas transitando”.

O segundo sargento Leosvaldo participa da operação como um dos responsáveis por fiscalizar o estágio dos alunos do CFSd. O PM explicou que a intenção é que a iniciativa se estenda ao Centro da capital também. “São 11 pontos espalhados em locais estratégicos para inibir assaltos e fazer ação de presença policial. O sistema é rotativo, os alunos CFSd se reversam nos turnos da manhã e tarde, a priori, podendo ser estendido à noite. São de 35 a 50 homens por turno, a depender do período. Em cada ponto são colocados entre três e quatro policiais, por questão da superioridade de força. Mas a cada dia esses pontos podem ser modificado, a depender da necessidade do contexto geral”.

Luiza de Souza trabalha há três anos em uma loja no bairro 13 de julho e revelou que se sente mais segura com a presença dos militares nas ruas de forma mais constante. “Estava precisando desse policiamento aqui. A gente se sente mais segura ao vê-los circulando, assim mais próximo da gente. Ações como essa são importantes para evitar furtos e roubos, para trabalharmos mais tranquilos”, afirmou a comerciante.

A praça Luciano Barreto Júnior, no bairro Jardins, é um dos locais escolhidos por Filippo Paulline  para comercializar os sanduíches preparados em seu food truck. O jovem contou que a presença policial oferece maior conforto para as famílias que frequentam a praça. “Aqui é uma praça com muitas crianças que vêm brincar no parquinho e famílias que trazem os animais para passear. São várias lanchonetes e food trucks no local e por ser uma avenida movimentada, na qual transita várias pessoas, necessita desse policiamento. É clara essa sensação de segurança com os policiais aqui. Inclusive, a ação vai ajudar a aumentar o movimento, porque algumas pessoas evitam circular por aqui por receio da violência. Agora, com certeza as pessoas vão frequentar muito mais a praça e isso é bom para o nosso negócio também, para os clientes se sentirem mais seguros para vir até aqui”.

O segundo sargento Leosvaldo ressaltou a importância da participação popular na identificação das áreas com maior índice de violência. “À medida que o público nos informa, acionamos alguns pontos estratégicos, os mais visados referentes a assaltos e furtos, que são considerados áreas vermelhas, críticas. Então colocamos os policiais para atuarem nestas áreas e assim diminuir os índices de violência”, disse Leosvaldo.

Estágio 

O estágio supervisionado do Curso de Formação de Soldados visa levar a prática da atividade policial aos discentes que participam do CFSd, no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (Cfap). Os futuros militares estão sendo supervisionados por sargentos que atuam no próprio Cfap, no 1º Batalhão de Polícia Comunitária (1º BPCom) e no Batalhão de Policiamento Turístico (BPTur).

O aluno Joelmir da Costa, 22, declarou que esta fase do Curso de Formação é importante para que os futuros PMs aprendam mais sobre a rotina policial. “Já tivemos a parte teórica do curso e agora estamos vendo como funciona na prática o que aprendemos. Todas as nossas ações são supervisionadas por um sargento, que acompanha como estamos aplicando nossos conhecimentos, se estamos fazendo a abordagem da maneira correta, por exemplo. Essa fase é importante para oferecermos um serviço de maior qualidade à população e todos estão animados para conhecer a vivência policial. Além disso, é bom ver a população vendo essa ação positivamente. Já passaram umas idosas e disseram que, com a gente aqui, se sentiam mais seguranças para sair, passear com os cachorros na rua”.

Elielmo Miranda, 28, também enfatizou o reconhecimento da comunidade. “Há pouco, uma senhora nos parou e parabenizou a ação de policiamento. As pessoas se sentem mais seguras com o nosso trabalho aqui, pois oferecemos uma sensação maior de segurança. Para nós, do Curso de Formação, é positivo saber que contribuímos com a segurança pública. Como o nosso tenente-coronel nos falou, estamos aqui para nos formarmos como soldados combatentes, para estarmos nas ruas, acolher a sociedade, tá do lado da comunidade, a ideia é trazer a polícia para mais perto do cidadão”, destacou o futuro PM.

CFSd

A terceira e última turma do Curso de Formação de Soldados, oriunda do Concurso de 2014, iniciou as atividades no Cfap em janeiro de 2017 e deve concluir o CFSd ainda no segundo semestre deste ano. Até lá, os alunos colocarão em prática e aperfeiçoarão os conhecimentos teóricos já aprendidos.

Por meio deste concurso, o governo do Estado já incorporou 1.007 novos policiais à PM. Com os 237 alunos ingressos em janeiro, serão quase 1.300 novos PMs incorporados ao quadros da Polícia Militar do Estado de Sergipe nos últimos três anos.

Comente: