Bombeiros já atenderam 69 ocorrências de retirada de anel este ano

No ano passado, foram 178 atendimentos desse tipo em todo o estado

Uma das ocorrências mais comuns atendidas pelos bombeiros é a retida de anel. Só na manhã desta sexta-feira (16), duas pessoas procuraram o Quartel Central do Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE), em Aracaju, para realizar a retirada. No ano passado, foram 178 atendimentos desse tipo em todo o Estado e no primeiro semestre desse ano já foram registrados 69. Mas medidas simples podem evitar essa situação.

“A primeira é não colocar um anel apertado no dedo, usar sempre com uma certa folga. Quando perceber que começou a apertar por algum motivo, retirar imediatamente. É aconselhável também retirar o anel antes das práticas esportivas, especialmente as que se utiliza muito as mãos, já que pode acontecer de inchar por algum impacto e dificultar a retirada”, afirmou o assessor de comunicação do Corpo de Bombeiros, tenente-coronel Jairo Cruz.

Já quando for tentar retirar o anel e não conseguir, o bombeiro orienta não demorar para buscar ajuda. “Nós orientamos tentar em casa com o uso de detergente ou sabonete líquido para ajudar na retirada. Outra alternativa é tentar com o uso de um fio dental, se o dedo não estiver machucado. Mas caso não consiga ou perceba que está inchando, é importante buscar o Corpo de Bombeiros para realizar a retirada o mais breve possível, evitando o comprometimento do dedo”, explicou o coronel.

Logo no início da manhã, Acácia Nascimento Santos trouxe ao Quartel Central o filho de 14 anos com um anel preso, depois de tentar retirar em casa.  “Como o anel era de prata, a retirada foi rápida com o uso de um alicate”, explicou o subtenente Alberto Almeida.

Logo depois chegou Marcelo Fernando Teles de Santos, de 21 anos, com a mesma situação. Por conta do anel ser de um material mais resistente, aço, foi necessário utilizar a microrretífica para realizar a retirada.


Técnica de retirada de anel do fio dental

Será necessário cerca de um metro de fio dental. Passe uma das extremidades por baixo do anel, deixando cerca de 15 centímetros do fio livres em direção à palma da mão. Enrole o restante do fio fazendo voltas levemente apertadas (para não comprometer a circulação) em direção à ponta do dedo. Puxe o fio preso no anel em direção à ponta do dedo, deslizando o anel pelo fio enrolado. É importante ressaltar que essa técnica não deve ser utilizada se o dedo estiver machucado, já que pode aumentar a lesão.

Fonte: ASCOM CBM/SE

Comente: