Ação rápida prende três em flagrante por envolvimento em explosão no BB de Pacatuba

Trio fotografou a agência, visualizou abastecimento de carro-forte e escolheu imóvel para a quadrilha. Agora, investigações miram restante do grupo

Investigadores do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), com o apoio da Divisão de Inteligência (Dipol), prenderam três pessoas envolvidas diretamente com a explosão da agência bancária do Banco do Brasil do município de Pacatuba, cidade no norte do estado e localizada a 113 quilômetros de Aracaju. Um homem e duas mulheres foram presos momentos depois da ação criminosa, registrada na madrugada desta quarta-feira (03), por volta das 3h. 

Foram presos R. da Silva Santos, 26 anos; A. Pinheiro Santos, 19 anos; e J. Maria de Jesus, 23 anos. O trio foi responsável pela observação de detalhes nos arredores da agência dias e horas antes do crime e reservou uma residência na zona rural da cidade de Pacatuba, onde o grupo criminoso preparou todas ações para a prática do roubo.  

Segundo os primeiros depoimentos prestados à polícia, R., A. e J. participaram de toda a preparação para o crime. Segundo os investigadores, eles fotografaram a agência, visualizaram o abastecimento pelo carro-forte e obtiveram o imóvel para esconder a quadrilha. 

Jam. e A. ainda percorreram as ruas da cidade poucos momentos antes do crime a fim de se certificarem de que não havia polícia no local, momentos registrados por câmeras na cidade e que serão divulgados pela polícia. Após o crime, Rafael ainda foi responsável por queimar um dos veículos incendiados. 

Resposta rápida – Pouco depois do crime, várias equipes da Polícia Militar foram acionadas e começaram a realizar diligências. As equipes do Cope se deslocaram para a cena do crime e, junto à perícia, foi feito todo um trabalho minucioso que provocou a identificação de alguns indícios importantes na resposta rápida da polícia. 

Equipes de Neópolis e Pacatuba também levantaram as informações preliminares. Segundo os investigadores, foram subtraídos valores do cofre da agência. Os caixas eletrônicos não foram atingidos, mas apenas os cofres do interior da agência.

Na fuga, dois veículos usados no crime foram incendiados. Com base nos primeiros levantamentos e em todo o trabalho conjunto realizado, foram presos os três primeiros envolvidos no crime. Todos foram autuados e as diligências continuam para localizar os outros envolvidos no crime. Parte do dinheiro foi localizado com Rafael.  

Segundo levantamento feito nos últimos anos e divulgados pelas edições do Anuário Brasileiro da Segurança Publica, Sergipe apresentou uma tendência de queda na incidência de roubos a banco nos últimos anos em todo o estado. No ano de 2013, foram registradas 38 ocorrências. Em 2014, 35 investidas criminosas. Já em 2015, 27 casos. Em 2016, seis ocorrências e em 2017, oito ações criminosas. Em 2018, quatro registros desse crime e em 2019 foram duas ocorrências, com apenas um caso em 2020. O caso desta quarta-feira (03) em Pacatuba é o primeiro registro em 2021 e as respostas rápidas inibem as ações dos grupos criminosos no estado.

Comente: