Zezinho fala sobre nova visão política com ética e eficiência em Loja Maçônica

A convite da Loja Maçônica Cotinguiba, o deputado estadual Zezinho Sobral (Pode) ministrou na noite desta quarta-feira, 14, a palestra ‘Nova visão política com ética, eficiência e resultados’. Para o parlamentar, política deve ser feita com transparência, eficiência e conhecimento para que os resultados atendam as expectativas da população.

“Não se faz política se não conversar com as pessoas. É essencial ouvir demandas, conhecer os gargalos, pesquisar, intermediar para encontrar as soluções. A Assembleia Legislativa é o instrumento da equidade e do controle social, é a casa que representa as necessidades do povo. Fiquei muito honrado com o convite da Maçonaria para passar um pouco das ações do nosso mandato. Revi amigos e conheci pessoas que desejam somar para construirmos um país melhor. Levarei todas as discussões ao Parlamento”, afirmou.

O deputado discorreu sobre o papel da agricultura na balança comercial, mobilidade, potencialidades de Sergipe (petróleo, gás, energia), zoneamento costeiro e turístico, desenvolvimento, reforma da previdência, a luta pela conclusão da BR 101, a Lei das Queijarias, Sergipe (do litoral ao sertão), o atual momento vivido pelo Brasil, dentre outros temas. “A agricultura familiar representa mais de 80% da empregabilidade no campo.

Deputado Zezinho Sobral em Loja Maçônica

Sergipe possui 40 cooperativas que participam ativamente do mercado, processando e criando produtos para a merenda escolar. A segurança alimentar representa origem, garantia e fornecimento. O Brasil é o segundo exportador de grãos do mundo e é o maior em uso de agrotóxicos. Isso é um problema e precisa ser visto. A legislação sobre agrotóxicos é complicada. Precisamos modificar, estabelecer sistema e controle”, resumiu.

Zezinho Sobral falou da importância da Lei das Queijarias, que fortalecerá as 250 empreendimentos artesanais sergipanos, ampliando novos mercados ao pequeno produtor. “O queijeiro é o próprio responsável técnico. A Lei das Queinarias foi uma grande vitória do produtor sergipano (através do nosso mandato e parceiros técnicos) e regulamenta a produção e a comercialização. Ela estabelece critérios que asseguram a qualidade dos produtos. Nosso estado tem uma agricultura forte e essa Lei contribuirá para o desenvolvimento. O Brasil é um país agrícola e mantém a balança comercial graças à agricultura, à agropecuária e ao agronegócio”, apontou.

Na explanação, o deputado destacou que a luta pela conclusão das obras de duplicação da BR 101 é do povo sergipano. “Nosso mandato criou a Comissão Parlamentar de Representação Externa para cobrar e acompanhar esse problema que já dura mais de 20 anos. A adesão da classe política e da sociedade é grande! Mantenho o diálogo com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) tive a notícia da retomada das obras com previsão para término em 2020. Vamos aguardar e continuar lutando”, afirmou.

Zezinho Sobral falou da sua preocupação com o litoral sergipano e o Baixo São Francisco, enfatizando que defende o desenvolvimento sustentável para o turismo e aquicultura de Sergipe. “Estamos discutindo a construção do Plano de Gerenciamento Costeiro do Estado e do zoneamento econômico-ecológico para adequar essas regiões do ponto de vista social, econômico e ambiental. Precisamos dar atenção à Praia da Caueira, Praia do Saco e o Baixo São Francisco, reconhecendo as áreas turísticas que hoje estão inviabilizadas diante da Portaria do Ibama. Mais de 40% do território sergipano possui áreas não exploráveis. Todo o litoral, exceto Aracaju, não é acessível. Pirambu, Abais, Crasto, Brejo Grande, Neópolis e outras áreas possuem grande potencial turístico e necessitam de desenvolvimento”, ressaltou.

O parlamentar reforçou que a temática da exploração de novos campos em águas profundas de Sergipe, com capacidade de produção do gás e do petróleo. Destacou também a importância da Termoelétrica e frisou a necessidade do surgimento de viabilidades econômicas para contribuir com o desenvolvimento do estado de Sergipe nos próximos anos.

“Já temos energia eólica, energia elétrica, etanol, hidroelétrica e reforçamos o nosso potencial imenso de produção de gás e petróleo em águas profundas. Precisamos explorar o que vem da nossa terra. O gás é o grande chamamento para o desenvolvimento. O futuro de Sergipe é alvissareiro e promissor em termos de investimento na área de petróleo e gás. Sergipe já atrai olhares de empresas consumidoras de gás e instituições envolvidas com o setor. A Termoelétrica da Celse, no modelo que foi concebida, trazendo gás do Qatar, em um preço muito melhor do que a Petrobras está vendendo aqui, viabilizará Sergipe para ser o estado gerador de energia. Isso proporcionará empregos e renda”, pontuou.

Comente: