Vereadores aprovam 52 proposituras nesta quarta-feira

Nesta quarta-feira, 9, os vereadores que analisaram e aprovaram 52 proposituras durante a Pauta do Dia na Câmara Municipal de Aracaju (CMA). Ao todo, foram analisados sete Projetos de Decreto do Legislativo, quatro Projetos de Lei, um Projeto de Resolução, 19 Requerimentos e 21 Moções encaminhadas por vários parlamentares.

O vereador Américo de Deus (Rede) encaminhou 10 proposituras; sendo seguido por Lucas Aribé (PSB) e Iran Barbosa (PT) com sete cada; Seu Marcos (PHS) com quatro; Isac (PCdoB), Kitty Lima (Rede) e Professor Bittencourt (PCdoB) com três cada; Nitinho (PSD), Thiaguinho Batalha (PMB), Emília Corrêa (Patriota) e Anderson de Tuca (PRTB) com dois cada; Bigode (MDB), Juvêncio Oliveira (DEM), Palhaço Soneca (PPS) e Cabo Amintas (PTB) e Jason Neto (PDT) com um cada.

Uma das Pautas aprovadas foi o Requerimento nº 76/2018, de autoria do vereador Américo de Deus, que convoca o Superintendente da SMTT, Aristóteles Fernandes, a apresentar a prestação de contas da pasta à CMA. Referente ao assunto, o vereador Elber Batalha Filho indagou. “Além do superintendente não comparecer a outras convocações, ainda vem multando os motoristas que saem do conjunto Sol Nascente, tentando acesso a Avenida Tancredo Neves”.

A Pauta que causou embate entre os vereadores da situação e oposição foi o Requerimento de nº 105/2018, derrubado por 7 votos a 4, que convida o governador do Estado a explanar sobre as ações que serão desenvolvidas nas diversas áreas de interesse público em Aracaju, principalmente as áreas de segurança, saúde e educação. Defendendo a aprovação do Requerimento, o vereador Vinicius Porto (DEM) apelou para que os parlamentares aprovassem a Pauta. “É uma falta de delicadeza muito grande os vereadores rejeitarem a vinda da maior autoridade política de Sergipe”.

Isac Silveira se posicionou contrária à aprovação do Requerimento não pela a vinda da autoridade e sim pelo momento político. “Não é o momento e não está razoável convidar Belivaldo Chagas para explanar na Tribuna da Casa em ano eleitoral. Porque assim, qualquer outro parlamentar poderá trazer seus líderes políticos para um pronunciamento nesta Casa. Não estamos negando a vinda do governador neste parlamento, ele será muito bem vindo em outro momento”.

Comente: