Cigano diz que agrediu cavalo porque este havia machucado o seu filho de três anos

No último final de semana, a população sergipana foi surpreendida com um vídeo mostrando um indivíduo agredindo a pauladas um cavalo na rua do Campo, situada no povoado Brasília, zona rural de Lagarto.

Após ser denunciado pela Organização Não-Governamental ELAN (Educação e Legislação Animal) e intimado por agentes da Polícia Civil, Magaive Oliveira de Assis disse ser cigano e alegou que agrediu o animal porque este havia dado um coice em seu filho.

Em seu depoimento, Magaive contou que antes da agressão ele estava cuidando da ração do animal, quando precisou sair e ao regressar percebeu que seu filho de três anos havia levado um coice do animal, o que não deixou o primeiro lesionado.

Diante do ocorrido, o homem disse ter ficado nervoso com a saúde do seu filho e que devido ao ocorrido, desferiu pauladas sobre o animal sem a intenção de machucá-lo. Ainda no depoimento, Magaive falou que após a agressão procurou cuidar do animal dando banho e ração, acrescentando que não tem mais interesse no equino disponibilizando-o para a adoção da ‘ONG S.O.S. Animal’, para que esta ofereça os cuidados necessários ao animal.

Nazaré Moraes da ONG ligada a denúncia da agressão, contou ao Lagarto Notícias que as provas serão encaminhadas ao Ministério Público e que espera que a polícia “faça um bom trabalho para que Magaive seja condenado”. Moraes e a ONG que faz parte, também é contra a realização da vaquejada.

De acordo com informações obtidas na Delegacia Regional de Lagarto, a reportagem foi informada que o delegado regional, Hilton Duarte, dará continuidade ao procedimento policial, sendo aplicável a sanção cabível perante a justiça.

Leia mais no Portal Lagarto noticias

Comente: