Prefeito Edvaldo autoriza recuperação do corredor Hermes Fontes

O prefeito Edvaldo Nogueira autorizou, na manhã desta quarta-feira, 4, o início da recuperação completa do corredor Hermes Fontes. Este é último eixo do Projeto de Mobilidade Urbana a passar por intervenções para modernização do sistema de transporte coletivo urbano. Fruto de um convênio com o Governo Federal, a obra conta com investimento de R$ 20.598.535,03. Entre as novidades estão a inclusão de uma faixa exclusiva para ônibus, ao lado esquerdo do canteiro central, e a construção uma nova ciclovia na avenida José Carlos Silva.

“Estou muito feliz porque os resultados dos investimentos na mobilidade urbana já são visíveis. Quem passa pelos corredores Beira Mar, Augusto Franco e Centro/Augusto Franco começam a sentir a diferença e com o da Hermes Fontes nós completamos uma etapa importante do Projeto de Mobilidade Urbana. É uma obra inovadora, com características diferentes e que transformará, especialmente, a avenida Hermes Fontes, que terá a retirada do canteiro central para o alargamento da via e a possibilidade de uma faixa exclusiva para o transporte coletivo, o que vai facilitar de maneira efetiva, acabando com os engarrafamentos em diversos horários. É uma grandiosa obra e que tenho muita satisfação de dar o passo inicial para vê-la acontecer”, destacou Edvaldo.

O prefeito também explicou  todo o planejamento da gestão municipal para início desta obra, dada a complexidade do projeto. “Deixamos essa ordem de serviço por último, justamente por este motivo. É uma obra orçada em R$ 20 milhões, que será realizada por etapas e envolverá todo um planejamento. As tubulações de água que passam por esta avenida, ainda da década de 50, serão substituídas, terá a execução da rede de drenagem, a retirada de uma parte do canteiro central, a inclusão do corredor de ônibus pelo lado esquerdo, então serão muitas mudanças. Será uma obra mais trabalhosa, que exigiu de nós um planejamento maior, mas que terá todo o acompanhamento necessário e a integração de diversos órgãos da administração para que a sociedade sinta o menos possível os efeitos que ela causará”, ratificou.

Edvaldo enfatizou, ainda, que, com a recuperação do corredor Hermes Fontes, a gestão municipal finaliza a primeira etapa do Projeto de Mobilidade. “Fechamos um ciclo neste projeto de mobilidade grandioso, de R$ 120 milhões, com a recuperação dos quatros corredores de transporte, ligando Norte a Sul da cidade. Os semáforos inteligentes já estão em fase de testes e já no começo do próximo ano vamos iniciar a recuperação dos dois terminais, somada a construção do novo terminal do Mercado. Além disso, vamos substituir 150 abrigos de ônibus. Ou seja, vamos transformar, de maneira significativa, a nossa mobilidade, dando um ganho gigantesco”, reforçou.

Projeto grandioso

Diferente dos outros corredores de transporte, o da Hermes Fontes terá uma sistemática de trabalho distinta. As avenidas Hermes Fontes, Adélia Franco e José Carlos Silva, até o bairro São Conrado,  não passarão pela fresagem do pavimento para aplicação da nova camada. O projeto será executado por etapas e se inicia pela parte estrutural, segundo detalhou o presidente da Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), Sérgio Ferrari.

“Essa é uma obra muito mais civil do que de recapeamento. Começamos com as intervenções da Deso, para substituição da tubulação de água, da Energisa, de empresas de telecomunicações e também da Sergás. Com isso, não será possível trabalhar com meia-pista, como fizemos em trechos do corredor Beira Mar, por exemplo. Teremos que fechar uma via inteira. Além disso, no caso da avenida Hermes Fontes, que é muito estreita, vamos entrar no canteiro central para alargar a via e permitir a inclusão da faixa exclusiva. Depois de todas essas etapas é que entraremos com a recomposição do pavimento. Demoramos a começar justamente para montar uma logística com a SMTT, Sema e Secom, para que seja um trabalho bem feito, planejado”, explanou.

Também haverá a retirada e o plantio de novas árvores. “Algumas árvores não são adequadas para as avenidas. A Sema tem um inventário das árvores de Aracaju e nele detectamos a necessidade de substituição de algumas delas, mesmo que não houvesse essa intervenção na avenida Hermes Fontes. Então vamos fazer a retirada de algumas árvores, com uma compensação, já que plantaremos outras. É importante salientar que o saldo final será positivo, não apenas pelo impacto da obra, de melhorar a mobilidade da população, mas também porque a quantidade de árvores que será plantada será maior do que a que será suprimida”, explicou o secretário do Meio Ambiente, Alan Lemos.

Com 6,8 km de extensão, o corredor corta os bairros São José, Salgado Filho, Suíssa, Luzia, Grageru, Inácio Barbosa e São Conrado.  As três avenidas do eixo serão recapeadas e terão a implantação de faixas exclusivas para o transporte coletivo. Também serão construídas calçadas com rampas de acesso para pessoas com deficiência e serão implantadas sinalização vertical e horizontal. Outro destaque da obra é a construção uma nova ciclovia na avenida Empresário José Carlos Silva. O prazo para execução é de seis meses.

Trabalho educativo

Para que a obra fosse iniciada, a Prefeitura, por meio da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), elaborou um esquema para que a população fique bem orientada sobre o trânsito da região onde as intervenções acontecem. “Uma obra de grande impacto, que se inicia com o trabalho social, de distribuição de informativos e de orientação, tantos dos comerciantes como dos moradores e motoristas. De acordo com seus avanços, cada trecho terá um desvio diferente. Com isso, também emitiremos comunicados diferentes, a exemplo do que vem acontecendo com os outros corredores. Pedimos que a população acompanhe os canais de comunicação da Prefeitura para receber as nossas orientações”, ressaltou o superintendente da SMTT, Renato Telles.

Com relação à melhora na fluidez do trânsito, o superintendente afirmou que a inclusão da faixa exclusiva para o transporte coletivo trará um ganho substancial à população. “Aqui passa uma das linhas mais pesadas do sistema, que é a Augusto Franco/Bugio, com mais de 30 ônibus. Além disso, o fluxo de veículos particulares é bem alto. Então, quando você inclui uma faixa exclusiva, você dá velocidade ao transporte, reduzindo o tempo de deslocamento dos veículos de passageiros. Ganha quem utiliza o sistema e ganha quem usa carros particulares. Essa terceira faixa será segmentada. Diferente da avenida Augusto Franco, ela funcionará no canteiro central, à esquerda da via, mas será completamente segura. Tudo foi bem arquitetado”, frisou.

Acompanharam a solenidade o ex-conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Reinaldo Moura, o deputado estadual Capitão Samuel, os vereadores Camilo Lula, Gonzaga, Antônio Bittencourt e Vinícius Porto, além dos secretários municipais.

Comente: