Sergipe oferta programa para fumantes em 60 municípios

Programa de Abordagem e Tratamento do Tabagismo apoia os fumantes que desejam se libertar da dependência do fumo

Quer parar de Fumar? O governo de Sergipe disponibiliza em 60 municípios do Estado o Programa de Abordagem e Tratamento do Tabagismo, que apoia os fumantes que desejam se libertar da dependência do fumo. Nesta sexta-feira (31), quando é celebrado o Dia Mundial Sem Tabaco, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) mobilizou os municípios para o desenvolvimento de atividades que ofereçam discussão do tema com suas comunidades.  

O Dia Mundial Sem Tabaco é uma iniciativa da Organização Mundial de Saúde (OMS) que definiu para este ano o slogan “Não deixe o tabaco tirar o seu fôlego”, trazendo para o debate não apenas o câncer de pulmão, mas também as doenças pulmonares, segundo informou a coordenadora do Programa Estadual de Controle ao Tabagismo, Lívia Angélica da Silva.

De acordo com Lívia, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece tratamento para quem quer parar de fumar de forma segura desde 2005. O programa de tratamento do tabagismo existe no SUS e, dos 75 municípios sergipanos, 60 já estão estruturados para atender à população com equipes muito profissionais que, após avaliação clínica, indicam o esquema terapêutico adequado para cada paciente, ofertando adesivos, goma de mascar, medicação antidepressiva, de acordo com a necessidade de cada um, assim como as sessões de grupo tendo como base a abordagem cognitiva comportamental.

“É importante também, que todo profissional de saúde, na consulta de rotina, aborde o paciente sobre essa questão, porque pesquisas mostram que pode motivar para a cessação, pois ele se sente visto e apoiado. Essas abordagens simples têm excelentes resultados uma vez que abre espaço à reflexão. A escolha é sempre da pessoa, mas, os profissionais podem fomentar isso. Se a gente pensar que o tabagismo é a principal causa de morte evitável em todo o mundo , compreendemos a importância da campanha. O tabagismo é responsável por 85% dessas mortes por doença pulmonar”, enfatizou a coordenadora.

Segundo Lívia, o Brasil é promissor no Programa Nacional de Controle ao Tabagismo, considerando que ao longo dos últimos anos tem diminuído a sua prevalência e cita a pesquisa Vigitel, de 2017 – em vigor, já que a de 2018 ainda não foi divulgada -, que aponta uma prevalência de 10,8% fumantes no Brasil, enquanto que em Aracaju é de 4,8%. A pesquisa, realizada nas capitais brasileiras, mostra que Aracaju é a segunda em menor índice de fumantes.

Lívia Angélica ressalta que, embora a pesquisa seja realizada nas capitais, os dados de Aracaju podem servir de referência para o Estado de Sergipe e salienta outros dados: os homens fumam mais que as mulheres, mas por outro lado, têm mais facilidade em para de fumar parar de fumar que elas.


O passivo

Outro dado que chama a atenção da coordenadora é sobre o fumante passivo, que também absorve as mais de cinco mil substâncias tóxicas que estão na fumaça do cigarro. “Exalada em um ambiente fechado prejudica também as outras pessoas que estão ali. Em Aracaju, essa categoria tem 9,2% de prevalência. No Brasil, o número cai para 7,8”, disse Lívia Angélica, observando que os dados indicam a necessidade do programa de trabalhar também com os fumantes passivos.

Em 2019, devem surgir no Brasil 8,7% de novos casos de câncer de pulmão em homens e 6,2% em mulheres, segundo estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca). Em Sergipe a estimativa aponta 10,9% de novos casos da doença em homens, e 7,17% em mulheres. Essa atividades comemorativas reforçam a importância de parar de fumar em qualquer momento da vida pois os benefícios são sempre maiores .

Comente: