Sergipe inova com a matrícula online e trata de forma igualitária todos os alunos da rede pública estadual

Até o momento, mais de 146 mil alunos garantiram vaga no Estado

 

 

 

Por Avelar Mattos

A matrícula online, implantada na gestão do atual secretário de Estado da Educação, Jorge Carvalho, conseguiu, entre outras coisas, tratar de forma igualitária todos os alunos; acabar de vez com os privilégios, humilhação e as longas filas que se formavam nas imediações das unidades escolares durante o processo para garantir uma vaga na rede pública estadual.

“Com certeza, estamos avançando na direção do aperfeiçoamento da qualidade do ensino, seguindo rigorosamente as determinações do governador Jackson Barreto”, ressalta o secretário.

Desde que foi implantada, no dia 15 de janeiro de 2016, no Colégio Estadual Professor Joaquim Vieira Sobral, a matrícula online já garantiu a presença de 146.917 alunos, registrando uma proporcionalidade de 92% da capacidade da rede, que hoje, está em cerca de 170 mil estudantes matriculados nas 354 escolas estaduais. Até junho, quando finaliza o processo de matrícula online em todas as escolas estaduais da capital e do interior, 100% terá sido atingido.

Para facilitar a vida dos alunos e dos responsáveis legais, a Secretaria de Estado da Educação (Seed) disponibilizou um chat virtual (atendimento feito de forma online por profissional capacitado), no Portal de Matrícula.

No site da Educação, por exemplo, tem uma relação das instituições de ensino integrantes da rede estadual com os respectivos níveis, modalidades de ensino, período de matrícula e vagas ofertadas.

Problemas pontuais

“Tomamos todos os cuidados necessários para que tudo ocorresse de forma positiva, e conseguimos graças ao empenho dos servidores, professores e equipes diretivas. Posso afirmar categoricamente que a matrícula online em Sergipe é um sucesso absoluto”, ressalta Everton Siqueira, coordenador de Informática da Seed.

Ele reconheceu que durante o processo de matrícula, alguns pequenos problemas pontuais aconteceram, mas que logo foram resolvidos pela Codin.

“O nosso maior problema, aliás, de todos os estados, é com relação à internet, mas estávamos preparados, por isso, tudo foi solucionado rapidamente e não ocorreram maiores problemas. O mais importante é que já estamos nos organizando, alimentando o sistema para corrigir essas possíveis falhas para que no próximo ano tudo ocorra a contento”, disse.

Antes de implantar a matrícula online em Sergipe, o coordenador da Codin esteve visitando as Secretarias de Estado da Educação de Alagoas e Pernambuco.

“Em Alagoas, por exemplo, apenas Maceió tem algumas escolas que utilizam a matrícula online, enquanto que em Pernambuco somente a capital, Recife, utiliza esse processo”, informou.

Reclamações

Durante o período de matrícula na rede pública estadual, era comum observar reclamações de pais de alunos na imprensa, principalmente no que se referia às longas filas.

Em alguns colégios, como por exemplo o Atheneu Sergipense, Tobias Barreto ou Dom Luciano, famílias passavam horas e às vezes dias, dormindo à porta dessas unidades de ensino a fim de assegurar uma vaga para seus filhos.

“Antes tudo era cansativo, estressante, mas agora tudo mudou para melhor. A matrícula online facilitou a entrada do aluno na rede estadual. De casa, matriculei meus filhos, graças a esse novo sistema”, festeja a dona de casa Makclleny Santos. Ela mora no Coqueiral, em Nossa Senhora do Socorro, e tem dois filhos que estudam no Colégio Rodrigues Dória.

A diretora, professora Tereza Cristina de Melo, afirma que muitos dos 665 alunos do Rodrigues Dória moram na Grande Aracaju, mas a Seed oferece o transporte escolar.

“O processo de matrícula foi tranquilo. Recebemos muitos elogios de pais dos alunos, já que não existe mais aquela agonia de matricular os filhos. Quero aproveitar a oportunidade para ressaltar o apoio logístico que tivemos da Codin e da DEA, que nos auxiliaram bastante no trabalho”, disse.

Organização

A secretária Aline Ribeiro de Souza já presenciou as longas filas que se formavam nas imediações de algumas escolas de Aracaju. “Os pais reclamavam muito, mas agora tudo é feito de forma organizada, online e sem precisar se deslocar para a escola”, disse.

A aluna Larissa Virgínia de Andrade disse que a mãe dela fez a matrícula no próprio colégio Rodrigues Dória. “Não temos internet em casa, por isso, a minha matrícula foi feita na própria escola. Eu só tenho que elogiar a iniciativa da Seed por ter facilitado a vida de todos os alunos”, disse Larissa Andrade.

Já Edson Antunes de Oliveira, por já ser aluno do Colégio Rodrigues Dória, não precisou recorrer ao processo online, já que a matrícula dele foi efetuada automaticamente.

“Vários colegas disseram que não tiveram dificuldades de se matricular. Para quem encontrou dificuldade nossa escola colocou funcionários para auxiliar na matrícula”, disse.

A professora Maria Lúcia Góis, diretora da Diretoria de Educação de Aracaju (DEA), disse que a matrícula online vem ocorrendo tranquilamente em todas as escolas da capital.

“O processo atingiu de forma positiva as nossas expectativas. Aconteceram pequenos problemas pontuais, mas tudo foi resolvido pela equipe de informática da Seed. Sergipe está dando exemplo para o restante do país ao efetivar a matrícula online em todas as escolas da rede”, opinou.

Igualitária

O ano letivo no Colégio John Kennedy começou na última terça-feira, 12, e de acordo com a professora Lícia Cristina, os 740 alunos foram matriculados sem problemas.

“Muitos deles confirmaram a matrícula em casa ou em lan houses. A matrícula online acabou de vez com velhos problemas que atormentavam os pais de alunos. Além das longas filas, evitou que determinados colégios escolhessem seus alunos. A partir de agora, todos os alunos são tratados de forma igualitária, sem privilégios”, disse a diretora.

“Antes, a minha mãe perdia um dia de trabalho para efetuar a minha matrícula. Este ano, em poucos minutos, o meu nome já estava garantido no colégio. O sistema online só trouxe resultados positivos para nós alunos”, disse Lucas de Freitas Silva.

Leila Santos de Jesus concorda com o raciocínio do colega. “Excelente em todos os aspectos. Quem por acaso reclamou é porque teve problemas com a internet, mas todos os colégios do estado estavam à disposição dos alunos”, disse.

“Era um sofrimento para matricular os filhos. Ficava o dia quase inteiro na fila, mas esse problema não existe mais. Não só fiz a matricula online como posso acompanhar a vida escolar deles por meio do Diário Eletrônico”, ressalta a dona de casa Estela Márcia Martins.

Vagas

Um dos pontos positivos do processo de matrícula online em Sergipe é que qualquer escola da rede pode ser utilizada para a efetivação do aluno. “Caso ele queira estudar em outra escola, poderá utilizar o laboratório de informática de outra unidade de ensino. O processo foi implantado para facilitar do aluno, nosso foco principal, a razão maior da Secretaria de Estado da Educação”, disse o secretário Jorge Carvalho.

O diretor do Colégio Barão de Mauá, professor Roberto Ribeiro Moura, informou que os 1.075 alunos da unidade de ensino não tiveram dificuldades para garantir uma vaga.

“Com ajuda da Codin, nos colocamos à disposição dos alunos na efetivação da matrícula. Tenho vários relatos de pais enaltecendo o novo sistema implantado pelo governo Jackson Barreto, por meio da Seed”, disse.

A experiência inovadora de Sergipe está despertando interesse de alguns estados. Um representante de uma empresa de São Paulo procurou o coordenador de Informática da Seed para obter informações sobre o sistema.

“Constantemente somos convidados para explicar o sistema da matrícula online que foi implantado no Estado de Sergipe. É mais uma prova do sucesso do trabalho determinado pelo secretário Jorge Carvalho”, disse Ewerton Siqueira.

Link

Para solicitar vagas para novos alunos na rede pública estadual, basta o pai ou responsável acessar o site www.seed.se.gov.br , no link Portal de matrícula Online, informar um conjunto de dados pessoais e escolares do aluno, apontar a escola desejada, imprimir a via de confirmação e entregá-la na unidade de ensino em que o aluno pretende estudar em 2016, até o primeiro dia de aula.

Comente: