Secretaria do Tesouro Nacional aponta Sergipe como estado que mais quitou despesas no terceiro bimestre

Pagamento das despesas, além de honrar os compromissos, movimenta a economia auxiliando na geração de empregos

A nova avaliação positiva da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) sobre boas práticas de gestão das contas públicas entre os Estados da Federação, aponta Sergipe como o estado que mais quitou restos a pagar e despesas em relação à receita total (92%) no terceiro bimestre deste ano. O dado é resultado da análise da execução orçamentária de todos os estados da federação e do distrito federal até junho de 2021 e comprova que Sergipe honra os seus compromissos com fornecedores acima da média dos demais estados do Brasil.

O destaque de Sergipe demonstra a preocupação do Governo em pagar em dia suas despesas e, diante da força econômica do orçamento de mais de R$ 10,5 bilhões, garantir com o pagamento em dia  a recuperação da economia local, gerando benefícios para toda a sociedade.

Apesar da crise sanitária e econômica, Sergipe avança de forma responsável  tendo colocado em dia o pagamento da folha do funcionalismo; e retornado o pagamento do 13° salário dos servidores dentro do ano – sendo que 50% é pago no mês de aniversário do servidor.

“O reconhecimento da STN demonstra que o Governo usa a sua receita prioritariamente para quitar compromissos com servidores e fornecedores, que o Governo não guarda no banco suas receitas, e nossos esforços estão sendo recompensados. Também nos estimula a continuar trabalhando para que outras metas sejam alcançadas, especialmente com relação à geração de emprego e ao aumento dos investimentos com recursos próprios”, ressaltou o governador Belivaldo Chagas.

De acordo com o secretário de Estado da Fazenda, Marco Antônio Queiroz, os reconhecimentos pela STN da gestão financeira do governo concedem ainda maior confiança junto a setores  econômicos e segurança para fornecedores diante dos desafios que estão por vir. “A nossa prática  atrai mais emprego, faz surgir novos postos de trabalho e oportunidade de criação de empresas de fornecimento e prestação de serviços. É toda uma cadeia da economia que se desenvolve, gerando renda e mais investimento”, colocou.

Comente: