Procon/SE contabiliza quase 70 estabelecimentos comerciais fiscalizados no interior do estado durante esta semana

Apenas nessa quinta-feira, foram visitados 43 comércios na cidade de Poço Verde

O Procon/SE vem realizando fiscalizações em diversas cidades do estado. O objetivo, além de fazer cumprir o Decreto Governamental, é diminuir os riscos de contágio pela Covid-19 na população sergipana e verificar regras relacionadas à defesa do consumidor. Nessa quinta-feira (21), a instituição esteve presente na cidade de Poço Verde. Lá, foram visitados 43 estabelecimentos comerciais. No total da semana, foram 68 comércios no interior do estado, além de seis agências bancárias da Caixa na capital.

Em Poço Verde, foram registrados nove autos de constatação. Seis estabelecimentos comerciais foram orientados ao fechamento, por atuarem em atividades não permitidas pelo Decreto Governamental. Não houve auto de infração.

Na quarta-feira (20), o Procon/SE esteve em Estância, onde foram visitados 25 estabelecimentos comerciais. Como resultado, foram contabilizados 10 autos de constatação. No município do Sul sergipano, em dois comércios, foram isoladas as áreas que tinham produtos os quais a comercialização não está autorizada no interior da loja. Por exemplo, supermercado, em que mais de 50% da loja era de produtos de variedades. 

Na capital, na terça-feira (19), os fiscais da instituição estiveram em seis agências bancárias da Caixa. O Procon/SE registrou cinco autos de constatação e um de infração, todos relacionados ao distanciamento necessário entre as pessoas para reduzir o risco de contágio pelo novo coronavírus.

A diretor do Procon, Tereza Raquel, pede que os comerciantes sigam as determinações do Decreto Governamental que visa manter a saúde de todos e evitar mortes. Ela reforça que a população pode entrar em contato com a instituição por meio do telefone (79) 3211-3383, ou pelo e-mail: procon.online@sejuc.se.gov.br . 

Por esses canais, é possível tirar dúvidas ou ainda realizar denúncias sobre o descumprimento do Decreto Governamental, como a abertura de estabelecimentos comerciais não essenciais ou a não utilização de máscara; além do aumento abusivo de preços.

Comente: