Potencial de produção da bacia de Sergipe e Alagoas é destaque no Valor Econômico

O texto que retrata a fala a superintendente de exploração da ANP, Marina Ferreira, durante a OTC Brasil na última quinta-feira, 31, que diz ainda que Sergipe e Alagoas devem receber investimentos equivalentes a US$ 2 bilhões nos próximos anos

O estado de Sergipe ganhou notoriedade mais uma vez a nível nacional no quesito petróleo e gás. Desta vez, o jornal Valor Econômico falou sobre a capacidade das bacias de águas profundas na costa sergipana, onde comprovou-se que há uma nova fronteira de produção de petróleo e, principalmente gás natural. Segundo a publicação, a ANP estima que a bacia possui cerca de 2,2 bilhões de barris de óleo equivalente.

O texto que retrata a fala a superintendente de exploração da ANP, Marina Ferreira, durante a OTC Brasil na última quinta-feira, 31, que diz ainda que Sergipe e Alagoas devem receber investimentos equivalentes a US$ 2 bilhões nos próximos anos.

O governdo Belivaldo Chagas reforça que a costa sergipana tem um potencial enorme e que esta riqueza será fundamental para o desenvolvimento de Sergipe. “O progresso de Sergipe passa pelo gás e pelo petróleo. A cada dia, os olhares do país se voltam para o estado e o Governo já percebeu isso e está trabalhando para preparar o estado para este novo momento”, disse Belivaldo.

O Valor Econômico lembrou ainda que a Petrobras opera algumas concessões e já fez seis descobertas na região: Cumbe, Farfan, Moita Bonita, Poço Verde, Barra e Muriú. Além disso, a estatal  está vendendo algumas partes do projeto, que já conta com a participação do consórcio Exxon Mobil/Enauta/Murphy, detentor de nove concessões na área, adquirido nos últimos dois anos.

Comente: