Municípios do litoral Sul debatem o combate à exploração sexual

Ação faz parte do ‘Programa de Comunicação e Prevenção à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes Decorrentes da Atividade Turística’

O governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Turismo, capacita nesta terça-feira (10) e quarta-feira (11), pessoas que atuam no setor do turismo e na proteção da infância dos municípios de Indiaroba, de Estância, de Santa Luzia do Itanhy e de Itaporanga, para prevenir e combater a exploração sexual de crianças e adolescentes. A ação faz parte do ‘Programa de Comunicação e Prevenção à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes Decorrentes da Atividade Turística’com recursos do Prodetur, que tem como foco a análise da situação e capacitação de profissionais e gestores que atuam no sistema de garantias de direitos, e agentes do trade turístico.

“Temos um novo governador, mas ações importantes como essa precisam ter continuidade. O governo tem trabalhado o turismo de forma bastante profissional, tanto com a realização de obras, como na capacitação e no incremento do turismo”, afirmou o secretário de Estado do Turismo, Cicinato Júnior.

O consultor Anderson Rafael, da Quanta Consultoria, explicou a necessidade de se trabalhar com interfaces nas regiões com base no diálogo, na pactuação e na sensibilização. “Existem onze municípios em que teremos atuações mais evidentes e eles foram divididos em três polos: Litoral Sul, Grande Aracaju e Velho Chico. Estamos fazendo estudos sobre a situação, avaliamos no contexto nacional e preparamos os municípios para evitar que o turismo de Sergipe seja também para exploração sexual de menores, já que ainda não se chegou ao Estado”, detalhou o consultor.

O secretário de Cultura e Turismo de Estância, Manoel Messias, parabenizou o Governo pela preocupação em se antecipar e preparar os municípios para o turismo, mantendo a garantia dos direitos das crianças e dos adolescentes. Ele destacou que já foi conselheiro tutelar e que o município de Estância tem atuado no combate à exploração sexual.

“É preciso se antecipar para que Sergipe não sofra com o impacto negativo no turismo quando existe a exploração de crianças e de adolescentes. Trata-se de uma temática importanimportante que envolve a sociedade”, finalizou o secretário Cicinato Júnior.

Comente: