Mão Amiga: Belivaldo reúne produtores de laranja de Arauá e Pedrinhas

Nesta edição, em Arauá e Pedrinhas, 472 trabalhadores serão beneficiados com recursos total de R$358.720,00. Ao todo, nos 14 municípios beneficiados, serão 4.441 pessoas beneficiadas e um investimento de R$ 3.375.160,00

O vice-governador Belivaldo Chagas foi aos municípios de Arauá e Pedrinhas, nesta quarta-feira, 13, para entregar cartões e senhas do Programa Mão Amiga – modalidade laranja. Nesta quarta-feira, foram beneficiados 472 agricultores familiares dos dois municípios do Sul sergipano. Nesta edição, serão entregues bolsas colheiteiras a todos os 4441 beneficiários do Programa e o pagamento da primeira parcela do benefício deverá ser creditada ainda antes do Natal.

“Esse é um programa que olha para quem mais precisa, por isso, o governador Jackson Barreto fez questão de manter esse auxílio para esses trabalhadores que ajudam Sergipe a crescer com a produção no campo. São cerca de 4.400 trabalhadores da região da laranja que estão sendo comtemplados pelo projeto Mão Amiga, com quatro parcelas de R$ 190,00 distribuídos mês a mês. Nesse momento de entressafra, que o pai e mãe de família que trabalha com a laranja têm dificuldade de encontrar emprego, essa ajuda tem muita importância, pois se soma com outros auxílios e ajuda o trabalhador a pagar suas contas, fazer seu supermercado ou comprar um remédio. Pode parecer pouco para alguns, mas não pra quem precisa. E, além de tudo, esse recurso ajuda a aquecer a economia local”, declarou Belivaldo.

Em Arauá, o governo do Estado, com a entrega dos cartões e senha, beneficia 259 agricultores, 44 deles integram o programa e recebem o benefício pela primeira vez. O valor investido na 1ª parcela em Arauá é de R$ 49.210,00, o total das quatro parcelas alcança o valor de R$ 196.840,00, recursos oriundos do Fundo Estadual de Erradicação e Combate à Pobreza – Funcep.

O secretário de Estado da Inclusão, José Sobral, explicou que desde que o programa começou, em 2009, foram mais de 39 mil benefícios pagos aos trabalhadores da laranja. “É um número grande de trabalhadores e trabalhadoras beneficiados por esse programa. Hoje, a gente reinicia o programa na edição 2017/2018, aqui por Arauá e Pedrinhas, são 450 beneficiados nos dois municípios, trazendo informações de saúde, de equipamentos de proteção individual, novidades que o programa agrega para ampliar o benefício e agregar valor a um programa de distribuição de renda que atende a população rural do nosso estado”.

A ex-prefeita de Arauá, Ana Helena, elogiou o programa. “Há pequenos momentos que se tornam grandes momentos e esse é um deles. O Mão Amiga é um grande projeto. Quero parabenizar o governo por esse programa que é de grande valia para todos os arauaenses”.

Para o prefeito de Arauá, Ranulfo dos Santos, o benefício chega na hora que os trabalhadores mais precisam. “Chega em uma boa hora, que é a hora da entressafra, na época do Natal e na hora que os trabalhadores mais estão precisando. Quero agradecer ao governo do Estado por esse programa em benefício dos nossos catadores de laranja”.

Já em Pedrinhas, serão 213 agricultores beneficiados. Desses, 35 integram o programa pela primeira vez. O valor investido na 1ª parcela em Pedrinhas é de R$ 40.470,00, o total das quatro parcelas alcança o valor de R$ 161.880,00, recursos oriundos do Funcep.

A prefeita de Pedrinhas, Ocimara Cruz, reconheceu o esforço do Estado para manter o programa. “Diante de todas as dificuldades, estados e municípios, o governo de Sergipe não deixou de garantir esse benefício que tanto ajuda pais e mães de família do nosso município”, disse.

Belivaldo ainda destacou que o evento tem o papel social de orientar os beneficiários do programa a respeito de assuntos diversos, como saúde e equipamentos corretos de trabalho. “O Programa agrega também outros valores, como cuidados com a saúde. E sua continuidade, demonstra a importância de um governo que tem projeto”.

De acordo com o trabalhador da Laranja, Gerinaldo Domingos, o auxílio do governo de Sergipe faz diferença no período da entressafra. “A gente vive do trabalho com a laranja, mas é muito difícil conseguir trabalho nessa época e esse dinheiro já ajuda a pagar uma dívida, fazer umas compras”, relatou.

Eliane Maria da Silva tem três filhos e afirmou que o auxílio representa muito para sua família. “Esse benefício é muito bom porque a gente mora de aluguel, então já ajuda, e chega em uma hora boa. Ajuda também a comprar alimentos, pois nesse período é muito difícil arranjar serviço”.

Segundo o secretário José Sobral, este ano o programa traz mais uma novidade para os trabalhadores, uma sacola que auxilia o trabalho dos catadores de Laranja. “No ano passado, os trabalhadores nos pediram um Equipamento de Proteção Individual (EPI) específico que os auxiliaria no dia a dia. Procuramos em Sergipe, mas não achamos uma fábrica que produza em grande quantidade essas bolsas apropriadas, encontramos esse modelo em São Paulo e fizemos o orçamento para aquisição. Hoje, viemos aqui também para confirmar com os beneficiários se era esse EPI que realmente eles queriam e saímos com a aprovação de todos”.

O beneficiário Raimundo dos Santos ficou feliz com a novidade. “Esse EPI é muito bom, já trabalhei com essas sacolas em São Paulo. E agora vai ser muito bom ter para todos aqui. É um motivo de grande alegria para gente e também por ver a dedicação do governo para conseguir esse equipamento que tanto nos ajudará. Além disso, tem o benefício que recebemos nesses quatro meses, que alguns podem achar pouco, mas para gente, que vive da colheita, é de grande utilidade nesse período de entressafra. Todos que estão aqui precisam. Por isso, nosso agradecimento de todo nos ao governo do Estado. Além disso, tem as palestras sobre saúde o que é muito bom, pois muitos não cuidam muito bem da saúde e aqui já tem uma orientação”.

Programa

O Programa Mão Amiga foi criado em 2009 com o intuito de promover transferência de renda aos trabalhadores rurais da laranja e da cana-de-açúcar durante a entressafra. O benefício consiste no pagamento de quatro parcelas no valor de R$ 190,00 às famílias de catadores e produtores que estejam inscritas no Cadastro Único do Governo Federal para benefícios em programas sociais. As parcelas são pagas como complementação de renda durante a entressafra da citricultura e da cultura da cana de açúcar.

O Programa de Transferência de Renda e Geração de Cidadania ‘Mão Amiga’ Citricultura atende a 14 municípios sergipanos da citricultura, beneficiando nesta edição 4.441 plantadores de laranja, 816 estarão recebendo o Cartão Mão Amiga pela primeira vez. Em 2018, o total investido em cada parcela é de R$ 843.790,00, as quatro parcelas de 2017/2018 perfazem R$ 3.375.160,00.

Desde sua criação, já são 39.414 benefícios pagos aos catadores de laranja, num investimento de R$ 27.384.700,00. Se somarmos à cultura da cana-de-açúcar, já são mais de 66 mil benefícios pagos e mais de 47,5 milhões do Fundo de Combate à Pobreza aplicados para atender aos trabalhadores desamparados nos períodos de entressafra.

Durante o período de pagamento dos benefícios, os agricultores participarão dos seminários de qualificação do Programa Mão Amiga. Nos seminários, os catadores de laranja recebem orientações sobre o programa, informações sobre outros benefícios públicos e sobre o desenvolvimento do cultivo da laranja no município. A presença do trabalhador é fundamental, pois sua participação é pré-requisito para a manutenção do benefício no Programa. Na edição 2017/2018, o Governo do Estado, via, Seidh firmou parceria com a Universidade Federal de Sergipe, para realizar os cursos de capacitação.

O beneficiário que não puder comparecer ao evento deve enviar um membro da família munido da carteira de identidade da pessoa que está cadastrada no programa. No Mão Amiga, a Seidh atua em parceria com a Emdagro, Sindicato dos Trabalhadores Rurais e secretarias municipais de Assistência Social.

 

Comente: