Governo do Estado lamenta falecimento de José Eduardo Dutra

O Governo de Sergipe lamenta o falecimento do geólogo e ex-senador por Sergipe, José Eduardo Dutra, na madrugada deste domingo, 04, em Belo Horizonte. Dutra foi presidente da Petrobras e da BR Distribuidora e lutava contra um câncer. O funeral ocorrerá em Belo Horizonte, nesta segunda-feira, 05, a partir das 10h.

O governador em exercício, Belivaldo Chagas, determinou luto oficial de três dias e informou que o Governo irá mandar celebrar uma missa na ocasião do sétimo dia do falecimento do ex-senador. Belivaldo disse que a morte de José Eduardo é uma grande perda para o estado de Sergipe e para o Brasil. “Um companheiro valoroso que deixa um legado de luta e de trabalho por Sergipe e pelo país nos importantes cargos que exerceu”, declarou.

Licenciado por conta de uma cirurgia, o governador Jackson Barreto lembrou que José Eduardo Dutra foi um dos mais qualificados Senadores por Sergipe. “Ele saiu das minas de potássio para os movimentos sociais e de lá para o Senado Federal, chegando a ser presidente da Petrobras sem uma mácula em seu nome. Por onde passou, José Eduardo Dutra orgulhou Sergipe e o Brasil”, disse.

Jackson ressaltou que José Eduardo era um símbolo de dignidade, de lealdade e de companheirismo. “Dutra teve sua vida ceifada demasiadamente cedo, assim como nossos grandes companheiros Marcelo Déda e Rosalvo Alexandre. Mas quem somos nós para compreendermos os desígnios de Deus? Resta-nos uma lacuna e uma grande saudade. Seu nome será sempre lembrado por nós, seus companheiros, e também pela nossa gente como uma bandeira de luta e de ética, um exemplo a ser seguido por essa e pelas futuras gerações. Descanse em paz meu amigo” disse, lamentando estar impossibilitado de ir ao velório e ao enterro devido à cirurgia que realizou no pé esquerdo. “Se eu não estivesse operado, certamente iria para Belo Horizonte abraçar sua família, a quem eu envio meus sentimentos por essa perda irreparável”.

Histórico

José Eduardo de Barros Dutra nasceu no Rio de Janeiro, em 11 de abril de 1957. Foi presidente do Sindicato dos Mineiros do Estado de Sergipe (Sindimina) no período de 1989 até 1994 e dirigente nacional da Central Única dos Trabalhadores (de 1988 até 1990).

Em 1994, foi eleito senador da República pelo Estado de Sergipe. Foi presidente da Petrobras de 2 de janeiro de 2003 até 22 de julho de 2005. Retornou à Petrobrás como presidente da Petrobras Distribuidora, de 24 de setembro de 2007 a 14 de agosto de 2009 . Deixou o cargo para disputar a presidência do Partido dos Trabalhadores, sendo eleito para o biênio 2010-2012. Atualmente,  era primeiro suplente do senador Antônio Carlos Valadares (PSB/SE).

Comente: