Governo anuncia volta da Brigada Itinerante para combate à dengue

O estado de Sergipe tem 827 notificações, 148 casos confirmados e quatro mortes

O número de notificações e de casos confirmados de dengue no estado de Sergipe tem deixado todos em alerta. Os municípios do alto Sertão são os mais afetados e Monte Alegre aparece entre os 15 que registraram mais casos novos de janeiro a abril deste ano. Por isso, o governo de Sergipe, através da Secretaria de Estado de Saúde (SES), em parceria com o Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado de Sergipe (Cosems), reuniu nesta terça-feira (14), secretários e gestores dos municípios com maior índice a fim de apresentar o mapa atual da dengue, discutir ações e propor novas estratégias em busca de conter o avanço da doença. 

Na oportunidade, foi anunciado o retorno da Brigada Itinerante, força-tarefa gerenciada pela SES, que atuará na eliminação e no tratamento de possíveis criadouros do vetor nos municípios sergipanos. “É mais uma estratégia para fortalecimento das ações realizadas nos municípios. Nós faremos um planejamento elencando os critérios de definição dos municípios em que iremos iniciar os trabalhos”, contou a diretora de Vigilância em Saúde da SES, Mércia Feitosa.

O estado de Sergipe tem 827 notificações, 148 casos confirmados e quatro mortes.  A maior concentração de casos está acontecendo em menores de 14 anos, crianças estão sendo as mais afetadas. “A ocorrência dos óbitos é um panorama que nós não queríamos que tivesse acontecido. Temos quatro óbitos e a investigação desses casos vai nos levar a avaliar a assistência, seja ela na Atenção Primária, seja na Rede Hospitalar. Essa avaliação das investigações vai fortalecer a nossa discussão também com a Rede, se o paciente que está chegando está tendo uma classificação ideal e um atendimento oportuno”, comentou a diretora de Vigilância em Saúde da SES, Mércia Feitosa.

Segundo Mércia, o terceiro Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) está sendo finalizado e sinalizará a tendência do problema. “Estamos finalizando o terceiro LIRAa que vai sinalizar a tendência da doença. Nós tivemos um aumento no segundo LIRAa, dobramos o número de municípios com alto índice, e o terceiro vai ser um sinalizador se vamos diminuir os índices ou não”, disse.

Para o presidente do Conselho de Secretários Municipais do Estado de Sergipe (Cosems), Enock Luiz Ribeiro da Silva, a situação é preocupante e é preciso a conscientização da população. “Estamos com uma situação preocupante com quatro óbitos aqui no estado. Precisamos conscientizar a população e isso é tanto responsabilidade dos entes federados como também dos munícipes. Eu acho que cada um tem que cuidar da sua casa, do seu quintal, do seu terreno. É um problema coletivo que a gente tem que estar procurando resolver e sanar. Quando a gente descuida está, também, levando o problema para o vizinho, que às vezes cuida do seu quintal de seu terreno e outros, infelizmente, não fazem o seu papel e termina acarretando um problema para todos”, ressaltou.

A secretária de Saúde do município de Monte Alegre, Maria Cristina de Oliveira Duarte, conta que desde quando o LIRAa apresentou o aumento dos índices, tem intensificado as ações e as parcerias. “Inicialmente a gente fez um trabalho com a Secretaria de Educação, a Secretaria de Obras e com a SES que nos deu um grande apoio. Fizemos uma capacitação com os profissionais, montamos uma equipe que saiu fazendo palestras nas escolas, fizemos mutirão de limpeza na cidade e, junto a isso, a gente também entregou kits de prevenção com repelente, hipoclorito”, revelou. 

“Entramos nas casas das pessoas, orientamos e limpamos os quintais, os terrenos baldios também foram limpos, então a gente fez todo um trabalho de educação, de orientação e de prevenção. Estamos trabalhando também com o Programa Saúde na Escola (PSE), com as equipes de Saúde da Família, só que a gente entende que precisamos de uma contrapartida da população, a gente precisa desse olhar atento da população que está faltando. Hoje a gente está com uma mensagem gravada para que o carro de som saia nas ruas orientando, mas como eu sempre volto a dizer, não adianta de nada tudo isso se a gente falar e as pessoas não se conscientizarem de que a dengue mata”, explicou a secretária.

A dengue mata!

Ao perceber sintomas como febre alta, dor de cabeça, principalmente da região ocular, dores nas articulações e nos músculos, cansaço excessivo, vômito e enjoo, tonturas, dores fortes e prolongadas no abdômen, muita sede ou boca seca, procurar o Posto de Saúde ou o Hospital mais próximo e evitar a automedicação.

Os sinais para a dengue grave são: dor abdominal intensa e contínua ou dor à palpação do abdômen, vômitos persistentes e acumulação de líquidos – ascites, derrame pleural, derrame pericárdico-, sangramento de mucosa ou outra hemorragia, aumento progressivo do hematócrito (porcentagem de glóbulos vermelhos no sangue) e queda abrupta das plaquetas.

Dicas de combate

Água limpa e parada é o ambiente ideal para a reprodução do mosquito da dengue e a melhor maneira de combater a doença é evitando a reprodução do mosquito. Assim, cuidado com acúmulo de água em vasos de plantas, em pneus, garrafas e outros utensílios, prestar atenção nos ralos, limpar calhas, colocar telas em janelas, cuidado com piscinas, lagos caseiros e aquários, abrir portas e janelas quando o carro fumacê estiver passando, lavar recipientes que juntam água, paredes de lavanderias e tanques com sabão e usar repelente.

Comente: