Governo adia início do plano de retomada da economia

Estado inicia Bandeira Laranja, mas há exceções de atividades para Aracaju, Barra dos Coqueiros, São Cristóvão e Nossa Senhora de Socorro

O governador Belivaldo Chagas, em entrevista à imprensa na tarde desta terça-feira (23), informou que o Plano de Retomada da Economia de Sergipe entrará em vigor a partir da próxima segunda-feira, 29. No novo decreto, destaca-se a alteração do enquadramento de atividades do setor econômico entre fases. As decisões foram tomadas após reuniões com Comitê de Retomada Econômica (COGERE) e o Comitê Gestor de Emergência (CGE) para analisar os números da pandemia e a situação epidemiológica do estado nos últimos dias. 

“Ficou definido que a gente vai adiar por mais uma semana, a retomada da economia. A determinação que temos, hoje, é para que a Polícia feche qualquer estabelecimento que esteja aberto sem a determinação. Porque nós falamos do anúncio do plano e não do início. Ficou mais do que claro que hoje que teríamos essa definição.  Desta maneira, a retomada se dará a partir da próxima semana, na segunda-feira, dia 29”, disse Belivaldo.

Com exceção de alguns setores do comércio para quatro municípios da Grande Aracaju (Barra dos Coqueiros, Aracaju, Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão), com o início da fase representada pela Bandeira Laranja, estarão autorizadas a abertura de clínicas e consultórios de odontologia, fisioterapia, fonoaudiologia, nutrição, psicologia e terapia ocupacional, bem como serviços especializados de podologia; demais escritórios de prestadores de serviços e serviços em geral (publicidade, agências de viagem etc); operadores turísticos; templos e atividades religiosas, limitados a 30%; salões de beleza, barbearias e de higiene pessoal e atividades de treinamento de desporto profissional. O início da retomada econômica está condicionado à publicação dos protocolos sanitários individualizados por setor econômico pela Secretaria de Estado da Saúde – SES.

“Aracaju, Barra dos Coqueiros, São Cristóvão e Socorro não estão autorizados a abrir salões de beleza, barbearia e estabelecimentos de higiene pessoal, templos e atividades religiosas. Nos demais municípios estão autorizados”, enfatizou Belivaldo. 

De acordo com o Decreto, a restrição da abertura de salões de beleza, barbearias e estabelecimentos de higiene pessoal; assim como templos e atividades religiosas, de qualquer credo ou rito nesses quatros municípios da Grande Aracaju levou em consideração a matriz técnica de risco sanitário, aglomeração de pessoas, características do contágio, empregabilidade e circulação econômica nestes municípios. O COGERE deverá deliberar, na reunião do dia 30 de junho de 2020, sobre a autorização de funcionamento dessas atividades em Aracaju, Barra dos Coqueiros, São Cristóvão e Socorro. 

O decreto nº 40.620 alterou, ainda, os setores comerciais no decreto nº 40.615 de 15 de junho deste ano. Assim foram inseridos na fase Laranja e terão permissão abertura das lojas de cosmético, perfumaria e higiene pessoal, somadas a livraria, comércios de artigos de escritórios e papelaria. Na capital, Aracaju, essas atividades deverão observar o horário de funcionamento de 9h às 16h.

Representado por cores e por fases, o plano especifica as atividades especiais sem data prevista, pois a cada fase liberada, serão estudados o cenário e os dados da pandemia no estado. O principal indicador para a flexibilização e abertura do setor produtivo é a quantidade de leitos Unidades de Terapia Intensiva (UTI) disponíveis para a população. 

Belivaldo evidenciou a quantidade e o esforço do Estado na abertura desses leitos e analisou a quantidade de pessoas que estão internadas no momento. “A gente vai ter condições de atingir o total de 300 leitos. Estamos trabalhando no momento para que a gente consiga implantar mais 45 leitos restantes que estão previstos. No momento são 549 pessoas internadas em UTIs e leitos de enfermaria. Isso é preocupante porque em relação a leitos de UTI, estamos com o total de 216 pessoas, para aproximadamente 260 leitos, pública e privada”, analisou o chefe do Executivo estadual.

Comente: