Descentralização de serviços amplia atendimento do Ipesaúde no interior

Com a reestruturação das unidades de Itabaiana, Propriá e Lagarto houve redução de 15% nas buscas por atendimento em Aracaju

A modernização das unidades do Instituto de Promoção e de Assistência à Saúde de Servidores do Estado de Sergipe (Ipesaúde) nas cidades do interior tem permitido ao plano de saúde do servidor estadual prestar um melhor atendimento ao usuário. As filiais de Itabaiana, Lagarto e Propriá, totalmente renovadas, são os primeiros exemplares do novo modelo que está sendo implementado pelo Governo de Sergipe para beneficiar o servidor do interior do estado, que corresponde a 50% dos usuários da autarquia, a qual atende a 110.000 beneficiários atualmente, entre ativos, inativos e dependentes.

70e7b8965e64f12159c192844e2fdd66“Com a reestruturação destas três unidades, conseguimos uma redução de 15% no número de beneficiários que buscam serviços em Aracaju. Essa redução foi gradativa e permitiu desafogar o atendimento na capital”, informou o presidente do Ipesaúde, Christian Oliveira. Ele explica que, em breve, mais duas unidades atenderão a este novo conceito, a de Estância e Nossa Senhora das Dores.

Em Estância, as mudanças administrativas, com capacitação de pessoal e incorporação de novos serviços, já foram iniciadas neste mês de novembro. “E no final de janeiro terá início a reforma física do prédio, que é de propriedade do Estado. Já em Dores, a previsão é que em janeiro os servidores iniciem a capacitação e a reforma do prédio comece em março”, informou Oliveira.

O objetivo principal das mudanças é melhorar o atendimento. Para tanto, novos serviços estão sendo oferecidos, desde a simples emissão e renovação da carteira do plano, quanto a oferta de fisioterapia, antes inexistente em Itabaiana, por exemplo. Também são prestados os serviços administrativos de agendamento de consultas, exames e perícias, além de emissão de guias. Tudo informatizado, com acesso a toda a rede, funcionando de segunda a sexta, das 7h às 13 horas. Além dos atendimentos feitos na unidade, há encaminhamentos para clínicas conveniadas na própria cidade, na capital ou em outras unidades do Ipes.

A gerente da unidade desse município, Adeilma Barreto, conta que o número de pessoas atendidas triplicou desde que a unidade foi entregue após a reforma, passando de 575 atendimentos em agosto, antes da descentralização, para 2.240 em setembro e chegando a quase 2.500 em outubro. Para reforma da unidade foram ivestidos R$ 120 mil.

“Dispomos de um clínico, ginecologista, obstetra, pediatra, odontólogo e dois fisioterapeutas. A gente faz a parte administrativa e assistencial e essa média aumentou muito após a reforma do Ipes, que foi a descentralização dos serviços. O objetivo da gestão é dar mais funcionalidade às unidades do interior. Muitos procedimentos que eram realizados na sede foram levados para o interior. Isso dá mais comodidade aos beneficiários, que não precisam se deslocar para a capital, se deslocam para a regional”, informa a enfermeira, que coordena o Ipesaúde em Itabaiana desde julho.

Ganhos

Entre as melhorias, a gestão de filas através das senhas também tem agradado ao usuário. “A resolutividade também melhorou. Por exemplo, o beneficiário vai para o profissional e precisa de vários procedimentos, que são todos dados os encaminhamentos aqui, antes ele precisava se deslocar para vários locais diferentes. A perícia, por exemplo, a profissional em Aracaju recebe as informações e dá a resposta para a unidade e o beneficiário pega aqui mesmo. Facilita bastante”, conclui a gerente de Itabaiana.

A servidora aposentada Gilza Maria Santos, moradora da cidade de Itabaiana, é usuária do Ipes há mais de trinta anos. “Já busquei bastante atendimento aqui, e quando vai envelhecendo é que tem que cuidar mais da saúde. Já fiz até cirurgias, sempre estou ocupando o Ipes e sempre que precisei, fui atendida. Até agora eu não tenho nada a reclamar”, conta.

O médico ginecologista Adelvan Ferreira da Cunha, tem 22 anos de Ipesaúde e ressalta a importância do plano para o servidor. “O Ipes é importante, sempre foi. Eu também sou servidor e sempre gostei de trabalhar no Ipes. E, principalmente descentralizando, porque a maioria dos funcionários públicos estaduais na verdade está no interior. Essa ideia da administração nova de arrumar as coisas é importante, o diretor Christian esteve aqui e falou que faria justamente isso, mudar a estrutura e depois aumentar o material humano”, explicou.

Fisioterapia

Depois de um grave acidente de carro, a professora aposentada Nilsara Cisneiros, necessitou de uma atenção médica maior. “Há sete anos eu faço tratamento intensivo de fisioterapia, ortopedia e já fiz 31 cirurgias. Tive várias sequelas, que foram ocasionado cirurgias constantes. Já completou sete anos do acidente e estou me recuperando. Se não fosse o trabalho do fisioterapeuta, eu não conseguiria. Sempre fiz tudo pelo Ipesaúde, inclusive as cirurgias. O tratamento é difícil, contínuo, mas, durante os sete anos, nunca me negaram nada”, contou a beneficiária, após mais uma das três sessões de fisioterapia semanais, de meia hora cada.

Reativação

Na cidade de Propriá, no Baixo São Francisco, o ganho foi ainda maior, visto que o Ipesaúde estava desativado. A gerente da unidade, Edilaine Andrade, explica que a inauguração ocorreu em 30 de setembro e, a princípio, oferece somente o atendimento administrativo. A contratação de médicos está prevista para 2017. A unidade passará a ofertar as especialidades de clínica geral, pediatria, ginecologia e odontologia aos municípios da região.

“Alguns procedimentos, que antes só eram ofertados em Aracaju, agora já estamos fazendo aqui, já é um ganho. Aqui não funcionava nada e a previsão é que, no começo de 2017, os atendimentos médicos sejam iniciados”, informa, acrescentando que a procura tem crescido bastante. “Começamos a fazer divulgação por redes sociais e, por exemplo, na primeira sexta-feira mesmo, quando abriu, fizemos vinte renovações de carteiras, ou seja, são vinte pessoas que já não precisaram ir até Aracaju. Estamos tentando viabilizar de todas as formas para que a pessoa só saia da cidade se não tiver realmente outra forma”, completou.

A unidade oferece mais comodidade e funcionalidade aos 10 mil usuários do plano estadual de saúde da região e recebeu investimento superior a R$ 350 mil.

Usuários

A dona de casa Crisilma Valéria Santos Oliveira, mãe da pequena Taciana de 4 anos, buscou na unidade marcar os exames para a menina, que é a usuária do plano como dependente de seu pai. “Eu vim tentar marcar dois exames, eletrocardiograma e tomografia. Vai ser uma boa, porque não vai ser preciso sair daqui para marcar em Aracaju, todo esse protocolo com viagem e tudo o mais. Vai ser muito bom para Propriá”, opinou a mãe, que já havia conseguido encaminhamento para pediatra.

Já a pensionista Marlene Celestina dos Santos está entusiasmada. “Está uma beleza! Antes, no sacrifício, ia para Aracaju, muitas vezes não conseguia porque já estava cheio. Hoje, foi o primeiro atendimento que busquei desde a reabertura, pedi cardiologista e consegui agendar”, disse elogiando o atendimento.

Parceria

Em Lagarto, no Centro Sul do estado, a nova unidade regional do Ipesaúde funciona em parceria com a Universidade Federal de Sergipe (UFS), como uma extensão do Campus da Saúde. São cinco consultórios médicos, mais consultório odontológico, além de uma ampla sala de fisioterapia completamente equipada. A unidade recebeu um investimento de R$ 350 mil.

A enfermeira Hélia Roque Lima é a gerente da unidade desde outubro. Ela conta que, por dia, são em média 12 pacientes na fisioterapia e oito em cada uma das especialidades. Mas a perspectiva é aumentar esse número. “Nós temos aqui a especialidade de cardiologia, endocrinologia, clínica médica, pediatria, ginecologia e fisioterapia. Essas pessoas fazem uma agenda prévia para atendimento, aqui mesmo. E, além dos nossos médicos, os professores doutores da UFS, que trazem seus alunos, também fazem o atendimento aqui. Com a descentralização, esses pacientes não precisam se deslocar para capital, visto que temos um sistema que é todo previamente agendado. E na alta complexidade, existe parceria com algumas clínicas do interior, mas geralmente vão para a capital”, explicou.

Segundo ela, houve uma diminuição do déficit de atendimento do Ipes em Lagarto e região.  Desde a inauguração em setembro, no período do dia 13 ao dia 10 de outubro, foram 461 perícias agendadas; 58 pessoas atendidas na fisioterapia (260 procedimentos/mês), 81 pacientes na odontologia. De 10 de outubro a 3 de novembro, a unidade somou um total de 248 consultas médicas e 198 renovações de carteiras.

A profissional de fisioterapia, Darticlea Alves, foi contratada recentemente pelo Ipes e sendo moradora da cidade, foi algo muito bom para ela. “Gostei muito, temos vários aparelhos e a dinâmica aqui é muito legal porque além de mim, tem o pessoal da UFS, que vem segunda, quarta e sexta, e a gente divide os pacientes. O local é muito bom e dá para desempenhar um trabalho legal com os pacientes. Como profissional, é estimulante poder contar com esses recursos”.

Já a cirurgiã dentista Silvia Maria Cavalcante é servidora há 22 anos e também elogiou a nova estrutura. “Ficou ótimo, gostei muito do local, é bem agradável”, contou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *