Combate ao Aedes: Governo do Estado já inspecionou mais de 47 mil imóveis só neste ano

Só nos meses de janeiro e fevereiro deste ano, foram 26 municípios visitados pelas equipes de agentes de combate às endemias da Brigada e 19.718 criadouros do mosquito Aedes aegypti inspecionados

Relatórios do combate ao mosquito que transmite dengue, chikungunya e zika vírus mostram que 47.451 imóveis já foram inspecionados pela Brigada Itinerante em diversos municípios sergipanos. A Brigada é uma força-tarefa do Governo do Estado montada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) exclusivamente para realizar ações de prevenção a proliferação do mosquito.

Só nos meses de janeiro e fevereiro deste ano, foram 26 municípios visitados pelas equipes de agentes de combate às endemias da Brigada e 19.718 criadouros do mosquito Aedes aegypti inspecionados, segundo dados da Coordenação de Prevenção e Promoção à Saúde, da SES, responsável por gerenciar a força-tarefa.

“O trabalho diário tem surtido efeito. Além da eliminação dos focos, os agentes também levam informações ao cidadão, que, por sua vez, se conscientiza para a realização de tarefas de prevenção e combate. A Brigada Itinerante é imprescindível para que continue essa intensificação do combate levada muito a sério pelo secretário Almeida Lima e pelo governador Jackson Barreto”, afirmou Adriel Alcântara, diretor-geral Fundação Estadual de Saúde (Funesa).

Em 2016

Ano passado, os agentes de combates às endemias da Brigada Itinerante inspecionaram mais de 331 mil imóveis em todo o estado de Sergipe, em 143 visitas realizadas. Foram 167.498 criadouros do mosquito Aedes aegypti encontrados. As ações educacionais somaram quase 18 mil, com atividades realizadas em escolas e unidades educacionais.

Programação

As equipes da Brigada Itinerante cumprem uma programação na região metropolitana e no interior sergipano, levando em conta os resultados obtidos por cada município no Levantamento Rápido do Índice de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) e no Levantamento do Índice do Aedes (LIA).

“A SES utiliza esses dados como ferramenta de avaliação para a programação da Brigada Itinerante, que é o reforço do estado na luta contra o mosquito. Também recomendamos que as prefeituras utilizem o resultado obtido pelo LIRAa e pelo LIA para programar e intensificar as ações de combate e prevenção ao Aedes aegypti, principalmente nas localidades onde os índices deram mais elevados”, esclareceu Sidney Sá, coordenadora do Núcleo de Endemias da Secretaria de Estado da Saúde.

Risco no verão

Atitudes simples são essenciais para combater a proliferação do mosquito, principalmente no verão, época em que os riscos aumentam, como explicou a coordenadora. “As chuvas irregulares associadas às altas temperaturas do período intensificam a reprodução do vetor. E ainda temos uma característica do Aedes que agrava a situação: os ovos dele podem durar até 450 dias, mesmo em um local seco”, alertou.

Segundo Sidney, a principal arma é cada morador se tornar um vigilante atento. “É cumprir aquelas regras que todo mundo já conhece: não deixar água limpa e parada, tampar e limpar bem os reservatórios, manter pneus, garrafas e outros recipientes bem guardados. Até o pratinho da geladeira pode ser um criadouro”, orientou.