Brigada Itinerante visitará 14 municípios em janeiro

Trabalho vai ser intensificado por conta da chegada do verão, período de alerta em relação à proliferação do mosquito Aedes aegypti
Diretor-geral da Fundação Estadual de Saúde, Adriel Alcântara

O verão é o período de alerta em relação à proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus. Por este motivo, o Governo do Estado vai intensificar o combate ao vetor na capital e no interior. Só este mês, a Brigada Estadual Itinerante, força-tarefa gerenciada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), vai enviar seus agentes de endemias para 14 municípios.

“A programação de visitas da Brigada sempre é montada priorizando as cidades com os índices mais elevados de infestação do mosquito. Em muitas localidades são necessárias duas visitas dos nossos agentes”, explicou o diretor-geral da Fundação Estadual de Saúde (Funesa), Adriel Alcântara. “Além disso, também damos atenção aos locais que solicitam o trabalho da Brigada”, completou.

Segundo ele, ano passado a Brigada inspecionou mais de 315 mil imóveis em todo o estado de Sergipe. “Foram 132 visitas durante o ano de 2016. Aumentamos o número de agentes de endemias, que dão suporte aos municípios no controle do Aedes. Com isso, conseguimos superar a média de visitas e eliminação ou tratamento dos possíveis criadouros do vetor”, afirmou.

Os municípios que estão na agenda de janeiro são: Salgado, Poço Redondo, Cedro de São João, Moita Bonita, Malhador, Simão Dias, Malhada dos Bois, São Miguel do Aleixo, Poço Verde, Itabi, Tobias Barreto, Tomar do Geru, General Maynard e Nossa Senhora Aparecida.

Até a próxima sexta-feira, serão três municípios visitados, começando por Salgado, na segunda e terça, dias 02 e 03; depois Poço Redondo, quarta e quinta-feira, dias 04 e 05; e finalizando no dia 06, em Cedro de São João.

Chikungunya

De acordo com dados atualizados da SES, foram 8.030 casos prováveis de chikungunya em 2016, distribuídos em 72 municípios. Destes, 5.953 foram confirmados. As maiores taxas de incidência vieram, respectivamente, das cidades de São Cristóvão, Umbaúba, São Miguel do Aleixo, Carmópolis, Santa Luzia do Itanhy e Itabaianinha.

Em relação à dengue, foram 3.425 casos prováveis até o momento, distribuídos em 71 municípios sergipanos. Das notificações feitas, 1.783 estão confirmadas. Os municípios com maior taxa de incidência (por 100 mil habitantes) são: Pedra Mole, Nossa Senhora de Lourdes, Itabaianinha, Tobias Barreto e Umbaúba.

Dos 223 casos prováveis notificados de zika vírus, 30 foram confirmados. As notificações estão distribuídas em 27 municípios, sendo que as maiores taxas (por 100 mil habitantes) estão registradas em São Miguel do Aleixo, Umbaúba, Santa Luzia do Itanhy, São Domingos e Arauá.

Microcefalia 

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, a notificação dos casos de recém-nascidos com Microcefalia tornou-se compulsória a partir da declaração de Emergência em Saúde Pública de Interesse Nacional. Com base nisso, tornou-se obrigação legal, de todas as unidades de saúde, notificar a SES dentro de 24 horas após a identificação de qualquer caso suspeito.

Desde a implantação da notificação compulsória, foram notificados 270 casos de Microcefalia em Sergipe, 128 deles confirmados. Foram registrados 13 óbitos, sete comprovados, um descartado e cinco em investigação. A região de Aracaju aparece com o maior número de casos (98), seguida pelas regiões de Nossa Senhora do Socorro (43), Estância (37) e Itabaiana (29).