Belivaldo e Eliane acompanham procissão de São Sebastião em Poço Verde

O governador Belivaldo Chagas, acompanhado da vice-governadora Eliane Aquino, esteve neste domingo, 20, em  Poço Verde, a 143 km de Aracaju, para participar da tradicional Festa de São Sebastião, padroeiro do município. Considerada a principal manifestação religiosa de Poço Verde, a festa de São Sebastião acontece anualmente de 11 a 20 de janeiro. Antecedida pelos novenários, cada noite de novena é realizado com a participação de diversos segmentos da sociedade e Igreja. 


Recebido pelo prefeito de Poço Verde, Iggor Oliveira, Belivaldo Chagas destacou a importância da  festa e o momento de fraternidade.“Poço Verde é um município irmão, no qual temos relação de amizade com várias pessoas. Não poderia deixar de comparecer e ainda, de receber as bênçãos de São Sebastião. Que o apóstolo dos mártires continue rogando por todos nós sergipanos e abençoando esta terra tão querida! “


Ao lado de lideranças locais e amigos, Belivaldo e Eliane acompanharam a procissão em homenagem a São Sebastião pelas ruas da cidade, que traz “Revesti-vos da Caridade”, como tema principal. 

“Poço Verde é um município muito forte, onde há uma grande base de agricultores familiares. Então, estar aqui neste momento, em que é praticamente um início da nossa gestão, é um ato de companheirismo e compromisso com essa nossa população, e, principalmente, pedindo as bênçãos para a nossa gestão estadual, como também para todos os moradores dessa terra”, frisou a vice-governadora.  

Rosa Maria dos Santos, moradora de Salvador (BA), acompanhou a procissão com os pés descalços, como forma de agradecer uma graça alcançada. “Sentia muita dores de cabeça, mas graças a São Sebastião consegui a cura. Por isso, venho todos os anos agradecer”, revelou. 

Ao final, a bênção do Santíssimo Sacramento de São Sebastião, realizadas pelo Bispo por Dom Giovanni Crippa e o padre Éder Santos Dias, pároco da Paróquia São Sebastião. 


“A vida cristã é um caminhar rumo a Deus. Não adianta somente andar e caminhar sem um motivo. Temos que jogar sementes de bem e de amor e da misericórdia, assim como São Sebastião semeou a caridade e o amor a Cristo”, disse o Bispo. 


 São Sebastião


Foi cristão nos tempos do Imperador Diocleciano em Roma. Viveu em tempos de perseguição, dando-nos intenso exercício da caridade, visitando os encarcerados e confortando-os, encorajando e ajudando os que foram atingidos pela pobreza. Muito antes, pois, de dar o testemunho do martírio, Sebastião dava perante todo o testemunho da caridade. Este mártir não foi somente uma vítima da perseguição de Roma. E nem mesmo simplesmente mártir como milhares de outros cristãos. O suplício que sofreu se caracterizou por dupla violência brutal contra sua pessoa. Primeiramente, São Sebastião foi entregue aos algozes para ser morto a flechadas. Amarrado a um tronco de árvore, dispararam contra seu corpo numerosas flechas. Deixaram-no esvaindo-se sem sangue, crentes que já estivesse morto. Uma senhora piedosa, que o encontrou na floresta, levou-o para casa e ele se salvou. Segunda vez, porém, foi aprisionado quando apareceu diante do Imperador, em uma festa pública. E então o mataram a cacetadas, barbaramente, diante da multidão.

Comente: