Belivaldo Chagas apresenta riquezas históricas e culturais de São Cristóvão ao vice-presidente da República

Hamilton Mourão veio a Sergipe para participar de uma agenda de debates, palestras e homenagensSexta-Feira, 04 de Outubro de 2019

O governador Belivaldo Chagas recepcionou, na manhã desta sexta-feira (04), o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, em visita ao Museu Histórico de Sergipe, em São Cristóvão. Na quarta cidade mais antiga do Brasil, Mourão conheceu o acervo do espaço e um pouco da cidade que foi a primeira capital sergipana. Dentre outras autoridades, participaram da visita, o presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe, o deputado estadual Luciano Bispo, o deputado estadual Samuel Barreto e o prefeito do município, Marcos Santana.

“Fiz questão de dar as boas-vindas ao vice-presidente Hamilton Mourão. Não poderia haver lugar melhor para iniciar essa visita que a nossa querida São Cristóvão, berço da nossa história e símbolo da sergipanidade. Esse encontro serve, também, para estreitar o relacionamento entre o Governo do Estado e o governo federal em busca de mais desenvolvimento para Sergipe”, pontuou Belivaldo Chagas.

Mourão, que veio a Sergipe para participar de uma agenda de debates, palestras e homenagens, ressaltou a importância de Sergipe na formação do território nacional. “Em cada rincão da nossa pátria, há uma história a ser contada, uma história a ser lembrada e exaltada, em prol da história do Brasil. Particularmente, aqui no Nordeste, o berço da nossa nacionalidade, Sergipe foi a importante conquista que uniu o Nordeste brasileiro. No final do distante século XVI, os franceses vencidos na Paraíba, insistiam em impedir as comunicações por terra, entre Bahia e Pernambuco, e representavam, ao longo da perigosa costa do Rio Real, uma séria ameaça a essa navegação entre as duas cidades de Salvador e Recife. Por sinal, importância e perigo que se repetiriam mais de 350 anos depois, durante a Segunda Guerra Mundial, com o traiçoeiro ataque submarino alemão, que ceifou centenas de vidas brasileiras no episódio do massacre do Rio Real, jamais esquecido pela nossa marinha de guerra”, rememorou.

O vice-presidente destacou ainda que em suas viagens aos estados da federação, tem visitado sítios históricos importantes para a formação e evolução da nação, como é o caso da mais antiga cidade sergipana, São Cristóvão. “Em 1590, depois de uma vitoriosa campanha, o bravo Cristóvão de Barros, culminando a expulsão dos franceses, deste pedaço do Brasil, fundou o Forte de São Cristóvão do Rio Sergipe, que a exemplo do ocorrido com tantas cidades brasileiras, foi o núcleo da São Cristóvão, primeira capital desse grande estado da nossa federação. E essa cidade, hoje, é detentora de um valioso acervo arquitetônico e cultural, reconhecido como patrimônio da humanidade. Que sejam, estas minhas breves palavras, de homenagem ao povo sergipano, pela sua participação na construção do Brasil e também, meus cumprimentos aos que zelam pela preservação desse patrimônio histórico valioso para todos os brasileiros”, disse.

Já o prefeito do município, Marcos Santana, explicou que a visita de Mourão evidencia a importância do município na história de Sergipe e do Brasil. “Essa visita mostra que São Cristóvão é conhecido no Brasil todo. O fato do vice-presidente ter se interessado em vir conhecer a cidade é muito importante para nós. Além disso, temos a expectativa de que essa curiosidade resulte em uma sintonia e um carinho, e que ele, enquanto vice-presidente, possa influenciar na agilização de projetos e demandas da nossa cidade”, expôs.

Logo após a visita a São Cristóvão, Mourão participou de evento, organizado pelo Grupo de Líderes Empresariais de Sergipe (Lide), que debateu “Os 25 Anos do Plano Real”. À tarde, o vice-presidente recebe a Medalha da Ordem de Mérito Parlamentar, em solenidade na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese).

Centro Históricode São Cristóvão 

A cidade de São Cristóvão tem fundação entre o final do século VI e início do século XVII e foi sede da Capitania de Sergipe Del Rey até o ano de 1855, quando houve a transferência da capital para Aracaju. A Praça São Francisco, localizada no centro da sede municipal, foi reconhecida pela Unesco como Patrimônio Mundial em 2010. Sua construção ocorreu durante a União Ibérica, momento em que Portugal e Espanha eram regidos por uma única coroa. Nessa praça, está localizada a Igreja e Convento de São Francisco, a Igreja Santa Izabel, a Santa Casa de Misericórdia, o Museu Histórico de Sergipe – antigo Palácio Provincial – e um conjunto de residências dos séc. XVII e XIX.

Comente: