Agentes de Combate a Endemias da Brigada Itinerante já visitaram 138 mil imóveis em Sergipe

Em 2016, a Brigada Itinerante tratou de 24 mil possíveis criadouros do mosquito e eliminou 112 mil deles

Foi comemorado nesta terça-feira, 4 de outubro, o Dia dos Agentes Comunitários de Saúde e dos Agentes de Combate a Endemias (ACE), profissionais importantes para a saúde pública do nosso país. Apenas em 2016, os ACEs já visitaram mais 60 municípios em todo o estado. No total, já foram em mais de 138 mil imóveis e  trataram em torno de 24 mil possíveis criadouros do mosquito, eliminando 112 mil deles.

Em Sergipe, os ACEs compõem, no Governo do Estado, a Brigada Itinerante, força-tarefa responsável por combater o Aedes aegypti, mosquito transmissor da Dengue, Febre Chikungunya e Zika Vírus. Além das visitas para o tratamento e eliminação dos criadouros e focos do Aedes aegypti, os agentes da Brigada Itinerante se dividem na realização de ações educativas como palestras, distribuição de panfletos e apresentações teatrais.

Sidney Sá, gerente do Núcleo de Endemias da Secretaria de Estado da Saúde (SES), esclareceu o objetivo das ações.  “A função da brigada na parte educativa é orientar as pessoas nas feiras livres, igrejas, comunidades, unidades de saúde e, principalmente, nas escolas, independente da faixa etária, sobre a importância da prevenção e ter o cuidado com a própria residência para que não surjam criadouros do mosquito”, pontuou.

Segundo dados da SES, as ações educativas da Brigada Itinerante já atingiram a faixa de mais de 14 mil escolares em todo o Estado de Sergipe

Quem são os ACS e ACE?

Os Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agentes de Combate a Endemias são trabalhadores importantes dentro do Sistema Único de Saúde (SUS). Ambos atuam com a comunidade da área, do bairro, da cidade ou da região rural para facilitar o acesso da população à saúde e prevenir doenças.

O ACS devem visitar regularmente residências e fazer registros da população, em relação a documentos básicos para o acesso aos serviços de saúde e em relação aos possíveis problemas de saúde que possam ser identificados na residência. Assim, o ACS deve orientar pessoas sobre à sua saúde, encaminhando ao posto de saúde ou outros locais de atendimento sempre que necessário.

O ACE promove ações de educação em saúde junto à comunidade e informa à população sobre os riscos das doenças. Além disso, o ACE também realiza visita aos imóveis e outras localidades com o objetivo de prevenir e controlar doenças como dengue, malária, leishmaniose e doença de Chagas; atua no controle de roedores e na prevenção de acidentes por cobras, escorpiões e aranhas; e participa das ações de vacinação de cães e gatos para prevenção e controle da raiva.

Onde trabalham?

Segundo a Lei 11.350 de 2006, os ACS e ACE trabalham no âmbito do Sistema Único de Saúde, na execução das atividades de responsabilidade dos entes federados, mediante vínculo direto entre os referidos agentes e órgão ou entidade da administração direta, autárquica ou fundacional.

Os ACS, como fazem parte da Política Nacional de Atenção Básica (Portaria nº 2.488 de 2011), devem sempre fazer parte de uma equipe de atenção básica ou de uma equipe de saúde da família na comunidade onde mora.

O ACE pode ser designado para diferentes áreas, mas faz parte da equipe de vigilância em saúde de uma Secretaria Municipal ou Estadual de Saúde, dependendo de qual dos dois seja seu empregador.

 

Comente: