Quadrilha especializada em explosões a caixas eletrônicos em Sergipe é presa

c8df366a-5a38-9d43Uma operação conjunta envolvendo as Polícias Civil e Militar, por meio de agentes do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope) e do Grupamento Especial Tático de Motos (Getam), culminou na desarticulação de uma quadrilha especializada em explosões a caixas eletrônicos que atua em todo o Estado, além da apreensão de explosivos e materiais que seriam utilizados pelos suspeitos para a prática do crime a outras agências bancárias.

 

Crédito: Ascom/SSPSEEm entrevista coletiva realizada na manhã desta segunda-feira, 27, na sede do Cope, o comandante do Getam, Capitão Rivaldo, e o diretor do Cope, delegado Jonathas Evangelista, detalharam a operação que resultou na prisão dos seis suspeitos: Jadilson Flores de Melo, vulgo “Batata”, 25 anos; Thiago Batista Nunes, conhecido por “Thiaguinho”, 27 anos; Walisson Araujo Santos, vulgo “Avatar”, 21; Ivo Antunes Souza, vulgo “Mezenga”, 34; José Wik Ribeiro dos Santos, conhecido por “Shrek”, 22; e Bruno Duque Santos, vulgo “Bruninho”, 25.

Segundo o diretor do Cope, as investigações teriam sido iniciadas em março, quando teria ocorrido a primeira explosão a cash registrada em Sergipe em 2015. “A investigação se iniciou após a primeira explosão registrada este ano, ocorrida em março, onde, na ocasião, algumas pessoas teriam sido identificadas como participantes na prática do delito. Com base nas explosões às agências bancárias dos municípios de Propriá, Arauá, Pacatuba, Japaratuba e Capela, conseguimos chegar à autoria dos criminosos, efetuando a prisão dos seis suspeitos ao longo da última semana”, disse Jonathas Evangelista.

Forma de atuação da quadrilha

Delegado Jhonatas EvangelistaO grupo se reunia em duas propriedades – uma oficina situada no bairro Siqueira Campos e uma chácara no município de Nossa Senhora do Socorro – onde “Batata e Thiaguinho”, líderes da quadrilha, definiam a agência bancária que seria explodida. “O grupo promovia reuniões no dia do próprio intento criminoso, onde era definido o banco que seria explodido e a equipe que atuaria na prática, pois havia um revezamento entre os integrantes. Nem todos atuavam na mesma explosão, mas todos tinham envolvimento com a organização criminosa. Havia então um levantamento preliminar no dia da explosão, onde , logo após, no período da noite, os suspeitos retornavam ao local para concretizar o crime”, disse Jonathas Evangelista.

Sobre a obtenção dos explosivos utilizados pela quadrilha, o delegado Jonathas Evangelista confirma a participação do vereador do município de Poço Verde, Ricardo Henrique Nogueira de Oliveira, mais conhecido como “Galego”, na participação criminosa. “Após investigação, constatamos que o vereador Ricardo Nogueira atuava na aquisição dos explosivos, que seriam comprados no Estado da Bahia, e efetuava o repasse do material à quadrilha. Há cerca de um mês estamos à procura do paradeiro do vereador, que não frequenta mais às sessões da Câmara Municipal local. Hoje a sua condição é de foragido da Justiça”, ressalta o diretor do Cope.

Prisões

Capitão Rivaldo SantosSobre as prisões realizadas ao longo da semana passada, o comandante do Getam informou que apenas um dos envolvidos foi preso no município de Nossa Senhora das Dores. “O “Bruninho e Shrek” foram presos juntos no bairro Siqueira Campos; os líderes Batata e Tiaguinho presos na quinta-feira; Walisson Santos, vulgo “Avatar”, preso na cidade de Nossa Senhora das Dores na sexta-feira; e Ivo Antunes, conhecido como “Mezenga”, preso em uma oficina situada no bairro Santo Antônio, no sábado”, disse o capitão Rivaldo. “Também foram apreendidos na oficina usada por Mezenga, duas banas de dinamite, armas de fogo, capuzes e luvas, todos acessórios utilizados para as explosões dos cash”, frisou o capitão Rivaldo, do Getam.

Todos os envolvidos foram conduzidos à sede do Cope, onde estão custodiados à disposição do Poder Judiciário. Com a prisão dos suspeitos, a Polícia trabalha no sentido de efetuar a prisão de mais outras três pessoas que estariam possivelmente envolvidas com as práticas criminosas da quadrilha.

Fonte: SSP/SE

Comente: