Polícia Civil prende em Aracaju foragido do Maranhão acusado de roubo, sequestro e estupro Segurança em 03/04/2013 15:36h por Bareta | Comente


Material apreendido | Foto: Reinaldo GasparoniPoliciais da Coordenadoria de Polícia Civil da Capital (Copcal) cumpriram um mandado de prisão nesta segunda-feira, 1º, no bairro Farolândia, zona sul de Aracaju, em desfavor de Sandro Leonardo Buzar Araújo, 37 anos. De acordo com o delegado Ademir Melo, que coordenou a operação com a delegada Nalile Castro, ele foi condenado, em um dos vários processos  que responde no Estado do Maranhão, pelo crime de roubo qualificado em concurso com estrupo a uma pena de 30 anos de reclusão em regime fechado.

Delegado Ademir | Foto: Reinaldo Gasparoni
A informação é que ele foragido da Justiça desde 2010 e estava escondido em Aracaju desde outubro de 2012. “Para manter o anonimato e uma vida confortável em Aracaju ele cometia uma série de crimes, tais como a prática de falsificação de identidade e estelionato a fim de contratar uma série de serviços”, explicou o delegado.

Durante a abordagem policial, Sandro não apresentou nenhum documento de identidade, mas chegou a se identificar para os policiais com dois nomes distintos: Odair José da Silva e Francisco Silvan da Silva. Após a realização de uma busca no veículo, Kia/Cerato que ele dirigia e na residência alugada onde morava no bairro Farolândia, os policiais encontraram um RG falsificadocom os dados de Francisco Silvan da Silva, porém com sua fotografia.

 

Delegado Ademir Melo detalha prisão do acusado   Baixe aqui

RG do acusado
Em seu interrogatório, Sandro confessou fazer parte de uma quadrilha há mais de 16 anos.  O bando é especializado no cometimento de sequestro, estupro, formação de quadrilha, assaltos a bancos, agências dos Correios e mansões no Maranhão. No momento da prisão em Aracaju, o acusado foi encontrado com uma farda da Polícia Federal, computadores portáteis, tablete e celulares de última geração.

Também foi apreendido com Sandro várias cópias de contratos de empresas de telefonia celular, internet, televisão por assinatura, entre outros. “Estes contratos estavam em nomes de pessoas que tiveram seus nomes utilizados indevidamente. No entanto, quem assinava os contratos era Sandro só que se passando por suas vítimas; por isso, em Sergipe ele irá responder a um inquérito por falsificação de documentos e estelionato”, explicou Ademir.

Sandro deverá ser recambiado para o Estado do Maranhão, onde já foi condenado pela Justiça e onde precisa responder por uma série de crimes que lhe são atribuídos.

Compartilhar/Favoritos