Operação Vetus II: Polícia Civil atende 208 idosos vítimas de violência durante período de atuação

Ação, coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, resultou na prisão de cinco agressores e na solicitação de 21 medidas protetivas

A Superintendência da Polícia Civil, por meio do Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV) e as delegacias especializadas do interior do estado, apresentou, nesta quinta-feira (18), a Operação Vetus II. A ação teve início no dia 15 de outubro, com foco no combate à violência contra idosos.

Em Sergipe, a operação também foi composta de visitas às instituições destinadas ao acolhimento de idosos em situação de vulnerabilidade familiar e financeira, com o objetivo de reforçar o comprometimento da Polícia Civil com a garantia dos direitos da pessoa idosa.

A operação faz parte de uma mobilização nacional coordenada e articulada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), por meio da Secretaria de Operações Integradas (Seopi).

Durante o período, 25 profissionais de segurança pública atenderam 208 idosos vítimas de violência. Foram abrangidos nove municípios, com apuração de 228 denúncias do Disque 100, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, e de canais locais.

Também são resultados do trabalho coordenado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, 220 visitas feitas a abrigos e residências de vítimas e 21 medidas protetivas solicitadas.

A Operação Vetus II faz parte de uma mobilização nacional coordenada e articulada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), por meio da Secretaria de Operações Integradas (Seopi), em parceria com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). A violência contra o idoso é crime e pode ter pena de dois meses a um ano de reclusão, além de multa.

Visitas

Durante o decorrer dos trabalhos da Operação Vetus II, inicialmente foi realizada visita ao Lar de Idosos Nossa Senhora da Conceição (Same), instituição localizada no Bairro Industrial e que está em atividade há 72 anos. O Same conta com 50 funcionários e acolhe 60 idosos. Na visita, foram verificadas as boas instalações e a organização do local, que é mantido com doações e contribuições de sócios.

Em seguida, foi realizada uma visita ao Asilo Rio Branco, instituição com 110 anos de idade, que também é mantida com doações e recursos dos idosos abrigados. Atualmente, acolhe 40 idosos. Ao final, foi feita uma visita ao Lar Dulce Lar, instituição em atividade há cerca de 10 anos, localizada no bairro Mosqueiro, onde trabalham cerca de dez pessoas, entre funcionários e voluntários. O Lar Dulce Lar atende 40 idosos e deficientes em extrema situação de vulnerabilidade. A instituição depende de doações.

O delegado João Moreira, da Delegacia Especial de Atendimento ao Idoso e Pessoas com Deficiência (DEAIPD), vinculada ao DAGV na capital, destacou que as visitas tiveram o objetivo de reforçar o compromisso da unidade policial junto às instituições que acolhem os idosos.

“Além da extensão dos procedimentos policiais, a operação também visou o estreitamento de relações. Então procuramos instituições conceituadas para colocar a delegacia à disposição para que as instituições também tenham esse acolhimento. Não foram detectadas irregularidades e a função da visita foi o de estreitamento de laços institucionais”, reiterou.

Denúncias

As denúncias feitas por meio do Disque 100 e do Disque-Denúncia (181) são gratuitas e podem ser anônimas. Qualquer pessoa pode acionar os serviços. O delegado João Moreira também reforçou a necessidade da participação da população no enfrentamento à violência contra o idoso.

“A população está mais segura em denunciar e está se sentindo mais consciente dos direitos que tem. Para nós, não há apenas o caráter repressivo e punitivo, há o caráter preventivo e de estreitamento de laços, pois as pessoas podem não ter consciência das irregularidades e a delegacia tem a função de educar e de transmitir orientação”, pontuou.

Comente: