Operação identifica falsa delegacia usada para aplicar golpes no RS

Cope cumpriu no Rio Grande do Sul mandados de prisão contra estelionatários

Como resultado das investigações das polícias civis de Sergipe e do Rio Grande do Sul, uma falsa delegacia foi descoberta na cidade de Novo Hamburgo, na Região Metropolitana de Porto Alegre (RS). O local, encontrado pela Polícia Civil do Rio Grande do Sul, contava com banners, algemas, armamentos e a identificação da corporação gaúcha.

A ação policial foi um desdobramento da operação deflagrada pelo Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), Divisão de Inteligência (Dipol) e Departamento Estadual de Investigações Criminais da Polícia Civil do Rio Grande do Sul, nessa quarta-feira (27).

Conforme as informações da Polícia Civil do Rio Grande do Sul, ao longo das buscas foram encontrados diversos documentos criados pela organização criminosa com inúmeras fotos e dados das vítimas para aplicar o golpe dos nudes, inclusive um caderno com anotações dos valores recebidos.

O delegado Dernival Eloi explicou que o grupo criminoso agia de forma bastante organizada. “São grupos bem articulados. Parte do grupo já está no presídio e a parte que faz a movimentação financeira estava do lado de fora, sendo geralmente mulheres e parentes dos presos”, detalhou.

Operação

Uma operação deflagrada nessa quarta-feira (27), cumpriu mandados de prisão contra investigados integrantes de um grupo criminoso que cometia delitos de extorsão e estelionato, inclusive com a utilização da imagem de policiais civis gaúchos.  Os investigados mandavam a foto de uma mulher nua e começavam um diálogo, pedindo foto da vítima.

Pouco tempo depois que a vítima encaminhava o material, os suspeitos entravam novamente em contato se passando por

delegado do Rio Grande do Sul e pediam dinheiro para não colocar uma suposta investigação em andamento.

Os mandados de prisão foram cumpridos contra Bi. Domingues Padilha, 25; L. Rodrigues da Silva, 28; M. dos Santos Domingues, 42; W. Mattos Silveira, 28; M. Lopes da Rosa, 32; e T. Fontoura Machado, 32. Os homens já estavam presos em unidade prisional.

Comente: