Mega Operação Lei Seca: Novos hábitos garantem mais segurança no trânsito

A Polícia Militar de Sergipe, por meio da Companhia do Policiamento de Trânsito (CPTran), desencadeou, na última sexta-feira, 6, a Mega Operação Lei Seca, em dois pontos da capital: na avenida Beira Mar, bairro 13 de Julho; e na avenida Mário Jorge Vieira, bairro Coroa do Meio. A ação envolveu mais de 40 policiais militares, com o apoio da Delegacia Especial de Delitos de Trânsito.

 

Entre as 20h da sexta-feira e as 12h do sábado, foram realizados 122 testes de bafômetro e confeccionados 30 autos de infrações. Durante a operação, a PM recolheu 20 carteiras de habilitação e dois documentos de licenciamento de veículo; autuou 24 por embriaguez ao volante, sendo 16 por recusa simples (ato de se recusar a soprar o etilômetro, sem condução do condutor à delegacia), cinco aplicações de medidas administrativas (condutor sopra o bafômetro e apresenta índice de 0.05 mg/L a 0.33 mg/L de ar expelido pelos pulmões), dois flagrantes com condução à Delegacia Plantonista (condutor sopra o bafômetro e apresenta índice igual ou maior a 0.34 mg/L de ar expelido pelos pulmões) e uma recusa com indícios de embriaguez (condutor recusa, mas, por apresentar indícios, é conduzido à delegacia), combinado com desacato.

A todos os casos de embriaguez ao volante são também aplicadas as medidas administrativas de recolhimento de CNH, retenção do veículo até a presença de condutor habilitado para retirá-lo e a autuação inerente à infração. Houve, ainda, uma prisão por desacato a policial de serviço, cujos infratores foram devidamente conduzidos à Delegacia Especializada que se encontrava extraordinariamente de plantão em atendimento à demanda da operação.

Se comparada à Mega Operação ocorrida em maio de 2015, foi possível observar uma mudança no comportamento dos motoristas durante toda a blitz. “Diversos veículos estavam sendo conduzidos pelas esposas ou por uma pessoa, eleita ?amigo da rodada?, que não haviam ingerido bebida alcoólica. Quando convidados a realizarem o teste do bafômetro, os condutores não hesitavam. Observou-se, também, um grande quantitativo de táxi, inclusive maior do que veículos particulares. Esta mudança de comportamento resultou numa importante diminuição tanto nas prisões com relação à ‘bebida X álcool’, como nas autuações de medidas administrativas (menor que 0,34mg/l)”, declarou a capitã Manuela Gomes, comandante da CPTran.

Vale ressaltar que no ano de 2015, foram confeccionados 96 autos de infração, sendo 40 por embriaguez, e 21 motoristas foram conduzidos à delegacia. “Isto mostra que as operações inibem que condutores assumam o volante após o consumo de bebida alcoólica, resultando numa maior conscientização por todos os envolvidos na mobilidade urbana. Em consequência, diminuímos a incidência de mortes e traumas no trânsito, promovendo mais segurança para a sociedade”, concluiu a capitã.

Fonte: PMSE

Comente: