DHPP elucida crime que vitimou transexual no conjunto Augusto Franco

A polícia chegou ao paradeiro dos suspeitos após uma denúncia realizada pelo 181

Na manhã desta sexta-feira, 4, foi realizada uma coletiva de imprensa na sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), para apresentação de detalhes sobre a investigação que resultou na prisão de N. A. F., 24 anos, e A. P. S. F., 28 anos, popularmente conhecido como “Cajacajá”. Ambos são suspeitos da autoria do homicídio que vitimou a transexual Denise, crime ocorrido em junho do ano passado no conjunto Augusto Franco, zona sul de Aracaju.

Segundo a diretora do DHPP, delegada Thereza Simony, os criminosos foram identificados após informações, via Dique Denúncia, durante o andamento das investigações, o que contribuiu para a prisão da dupla. “Surgiu denúncias dando conta da participação do Adilson e do Naelson. A partir daí, a equipe foi a campo no intuito de confirmar as informações recebidas. Durante as investigações, o delegado confirmou o crime contra a Denise, representando também pela prisão temporária que foi cumprida. Inclusive, em depoimento, Naelson confirmou que emprestou a motocicleta para que Aldison praticasse o crime”, esclareceu a diretora.

De acordo com a diretora do DHPP, as investigações continuam no intuito de verificar a participação de outros envolvidos. “Nós estamos apurando quem conduziu a motocicleta. A princípio, não há qualquer dúvida de que foi Adilson a pessoa que pulou o muro da residência da vítima e efetuou os disparos no momento em que Denise estava junto ao companheiro na sala da própria residência”, salientou.

A delegada esclareceu ainda a motivação do crime: “segundo as investigações, o motivo estaria atrelado a um suposto roubo de uma quantia em dinheiro que Denise teria pego da bolsa de Angela, mãe de Adilson, no momento em que foi ao banheiro durante uma ida a um bar”.

Ao final da coletiva, a delegada confirma a participação de Adilson em outros crimes. “Descobrimos que o Adilson está envolvido não só com esse homicídio, mas com outras práticas delitivas, entre elas o tráfico de armas. As investigações continuam no intuito de encontrar a arma utilizada no crime e tambpem descobrir como ele teve acesso a esse material”, finalizou.

 

O Adilson que já tem passagem pela polícia, vai responder agora juntamente com “Cajacajá” pelo crime de homicídio. A delegada informou ainda que está investigando a verdadeira participação de Naelson “Como ainda estamos no prazo da temporaria vamos ver qual foi a real participação do Naelson pra ver se ele foi apenas participe ou se ele foi coautor, então ainda vamos averiguar essa questão e ao final concluiremos esse inquérito e encaminharemos à justiça”.

Comente: