O deputado estadual Vanderbal Marinho (PSC) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa, na tarde dessa segunda-feira (23), para destacar o início da campanha nacional de vacinação contra a gripe. O parlamentar alertou que a campanha se estende até 1º de junho e que a vacina é importante para manter as pessoas imunizadas, chamando a atenção para o risco de uma pandemia de gripe mediante a proximidade de um inverno que, possivelmente, pode vir mais rigoroso.

Vanderbal alertou que no século passado uma pandemia da gripe espanhola acometeu todos os continentes do globo quando morreram cerca de 50 milhões de pessoas porque não havia nenhum mecanismo de defesa. “Não foi uma epidemia, mas uma pandemia”, chamando a atenção para a gripe asiática e outras epidemias. O deputado ainda disse que “com o advento da vacina se mudou a história. Atualmente, apesar da tecnologia, a gripe pode ser um problema de saúde pública”.

O parlamentar destacou a importância de se promover a campanha de vacinação coletiva antes do inverno. “É o período em que o vírus se multiplica e se espalha rapidamente. A campanha deveria ter sido iniciada em 16 de abril, mas por questão de fabricação e logística foi transferida para o dia 23, mas ainda em tempo hábil para imunizar as pessoas. No hemisfério norte, aqui perto, o inverno chegou com força em todos os Estados Americanos. Eles enfrentaram um inverno rigoroso que serviu de alerta, porque nós não sabemos como será o nosso inverno”.

Vanderbal Marinho explicou que o objetivo da campanha de vacinação está em evitar a propagação do vírus e evitar as formas mais graves de complicações e internações, e até de mortes provocadas pela gripe. Estão aptas para serem vacinadas as crianças entre seis meses e cinco anos; pessoas a partir de 60 anos; trabalhadores da área de saúde; professores das redes pública e privada; mulheres gestantes e puérperas; indígenas; pessoas privadas de liberdade (incluindo adolescentes cumprindo medidas socioeducativas); profissionais do sistema prisional; portadores de doenças que aumentam o risco de complicações em decorrência da influenza.

Por fim, o deputado esclareceu a polêmica onde as pessoas temem ser vacinadas e contrair o vírus da gripe. “A vacina é segura e eficaz. Mesmo quando não consegue imunizar, ela torna a infeção mais branda, menos agressiva. E aquela história que tomou a vacina e teve gripe, isso não é verdade. A vacina é produzida a partir de um fragmento do vírus e não tem como causar a gripe. A pessoa acha que teve a gripe. Quando toma se protege contra o vírus influenza, mas não cobre contra o resfriado comum. Existem centenas de vírus que podem causa-lo”.

“A vacina deve ser anual porque o vírus sofre muitas mutações. As pessoas costumam confundir a gripe com o resfriado. Existem diferenças básicas. O resfriado chega lentamente, com sintomas localizados, com a garganta inflamada, febre baixa ou nariz obstruído. Já a gripe vem com mais intensidade e surge de forma abrupta. Ela tem sintomas mais generalizados em todo o corpo, com dores, calafrios, febre alta e muita indisposição que podem incapacitar os pacientes”, completou o deputado.

 

Da Agência de Notícias Alese

 

Foto: César de Oliveira