“Quem quer o fim da CPI da Saúde quer a manutenção da morte” diz Isac sobre a possível paralisação dos trabalhos das CPIs

Uma dos assuntos mais comentados nessa terça-feira, 15, na Câmara Municipal de Aracaju (CMA), foi o pedido do procurador da CMA, Dr. José Gomes, que entrou com recurso extraordinário no Supremo Tribunal Federal, para barrar os trabalhos das duas CPIs: da saúde e do lixo, iniciadas em março deste ano.

Em entrevistas aos repórteres de rádio e sites de Aracaju, o vereador Isac Silveira (PCdoB), informou que foi pego de surpresa com a notícia, mas que nada atrapalhará as atividades da comissão. “As atividades vão continuar porque esse tipo de movimentação, por parte da presidência, é lamentável. Eu entendo que o Poder Legislativo esteja transportando para o Poder Judiciário a sua capacidade de acabar com qualquer dúvida ou questionamento”, explicou Isac.

Ainda questionado pelos meios de comunicação sobre os motivos que levaram a presidência da CMA a tomar esta decisão, Isac, disse que pensa em três fatores. “Primeiro a presidência demonstra insegurança jurídica quanto ao poder de minoria para a instalação das CPIs. Segundo, ele vai de encontro à opinião pública que está completamente a favor das CPIs. Terceiro, que ele entra em um erro crasso, que é delegar o poder deste parlamento a outro poder. É lamentável. É a pior ação que já vi desde que coloquei meus pés nesta casa. Quem quer o fim da CPI da Saúde quer a manutenção da morte”, disse indignado o vereador com a atitude da presidência da Câmara.

Por Bruna Cury, Assessoria de Imprensa do parlamentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *