Nitinho esclarece sobre a CPI do Lixo e o empréstimo da PMA

Na manhã desta quarta-feira, 16, durante o Grande Expediente da Câmara Municipal de Aracaju (CMA), o presidente Nitinho (PSD) abordou a situação dos táxis-lotação e esclareceu a questão da suspensão da instalação da CPI do Lixo. O vereador falou ainda sobre o empréstimo de 100 milhões que a Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) pretender contrair junto à Caixa Econômica Federal.

De acordo com o presidente da CMA, o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, precisa ter cautela com relação a proposta de implantação de um sistema profissional de transporte e de taxi especial para a zona Sul da cidade. “O prefeito tem que ter muito cuidado ao aprovar esse projeto, minha preocupação é que a cidade vire um caos. Reconheço o trabalho desses profissionais e sei a importância dos táxi-lotação para a população, mas esse é meu ponto de vista, não estou defendendo nem os clandestinos, nem os taxistas”, informou.

Outro tema debatido por Nitinho foi com relação ao empréstimo de 100 milhões que a Prefeitura de Aracaju pretende obter. Segundo o parlamentar, é preciso que os vereadores entendam a importância da urgência para votar esse projeto, que beneficiará a população de Aracaju. “O dinheiro desse empréstimo será para concluir obras que estão pela metade, pois existem muitas obras que não foram concluídas. E se o município não concluir, terá que devolver o dinheiro que já foi gasto para o Governo Federal. Eu não tenho nada contra a oposição desta casa. O que quero deixar claro é que esse projeto é importante para o prefeito dar continuidade em diversas obras nos bairros e localidades da cidade, como no Marivan, no 17 de Março, na Soledade entre outros. O meu ponto de vista é que esse projeto é necessário para o bem do povo aracajuano”, ressaltou o presidente destacando ainda que uma parte do dinheiro será para melhorar os calçamentos e pavimentações das ruas da cidade, evitando assim os buracos.

Emília Correia (PEN) afirma que percebe a importância do empréstimo, só destaca que o requerimento de urgência tem ser igual para todos, não pode priorizar apenas um. “Tenho vários projetos em caráter de urgência que ainda não foram avaliados. Nós queremos clareza, transparência e verdade. Acho o dinheiro muito elevado para utilizar apenas em obras, defendo que a emenda de Elber tem uma boa proposta, para reduzir o valor para até 60 milhões”.

CPI do Lixo

Ainda durante o seu pronunciamento, o presidente Nitinho esclareceu o motivo para a suspensão da instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Lixo. “Quero deixar claro que não tenho nenhuma dificuldade para discutir esse assunto, mas eu como presidente desta Casa utilizei de um direito que eu tenho de recorrer, não estou fazendo nada fora da lei. Eu não tenho medo da CPI não. Também não tenho nada contra a juíza, nada contra a oposição, e em nenhum momento a juíza agrediu o Poder Legislativo, mas eu cumpri meu papel como presidente, com o apoio da nossa assessoria jurídica e reafirmo que não tenho nada contra a juíza e nada contra a CPI. E continuar a reafirmar que o nosso recurso aconteceu com o objetivo de respeitar a decisão da maioria dos vereadores”, frisou.

O líder da oposição, Elber Batalha (PSB), destacou que Nitinho vai recorrer e que ele vai continuar na disputa para conseguir instalar a CPI. Com relação ao empréstimo, o vereador afirmou que não é contra empréstimo, só questiona o motivo para o valor ser tão alto. “Para mim não tem nenhuma dificuldade votar no empréstimo, mas acho que tem que ser avaliado o valor desse empréstimo. O que se diz tem que se cumprir, se esse dinheiro é para contrapartida de obra, ele não pode utilizar para pagar salário ou outras coisas, então tem que ser avaliado se todo esse valor é necessário, por isso que apresentei uma emenda a esse projeto propondo o valor de 60 milhões ao invés de 100 milhões”, disse.

Kitty Lima (REDE) também destaca sobre a CPI e o empréstimo. Para ela, o que precisa é de mais transparência. “O que eu faço é uma cobrança para que tenha transparência com relação ao empréstimo. E destaco também que também criei emendas ao projeto. Também não estou desconfiando de ninguém, só quero que seja feito da forma mais transparente possível. Sobre a CPI também falo que é importante, porque também é uma forma de transparência, que é o que precisa existir em Aracaju”.

Nitinho finalizou afirmando que entende o papel de cada um em questionar o valor do empréstimo. “Entendo e respeito o posicionamento dos vereadores. Mas estamos aqui cada um fazendo seu papel. E peço que, independente de partido político, que vocês pensem como votar, pois, para mim, será uma forma de beneficiar a população aracajuana e a trazer melhorias para nossa cidade”.

Foto: Gilton Rosas

Comente: