Na tribuna: Ana Lula fala da greve de fome em frente ao STF

A deputada estadual pelo partido dos trabalhadores, Ana Lula, ocupou o grande expediente da sessão plenária da última quarta- feira (01), no retorno dos trabalhos da Casa Parlamentar, após recesso, para falar sobre a greve de fome por justiça que está ocorrendo em frente ao Supremo Tribunal Federal.

Em sua primeira fala deste segundo semestre, relatou que seis trabalhadores, lideranças do movimento dos trabalhadores sem terra, lideranças do movimento dos pequenos agricultores e lideranças da central dos movimentos populares que iniciaram a greve de fome em praça pública, a fim de revogar todas as leis que estão interditando a democracia, frisou Ana Lula.

De acordo com Ana Lula, todas as leis tiram os direitos dos trabalhadores da cidade no campo. Segundo ela, dos líderes que participam do manifesto em Brasília, tem uma representante sergipana, Rafaela Alves que além de militante é poetisa, educadora social e coordenadora do movimento dos pequenos agricultores, sendo ela, inclusive, a fazer a leitura do manifesto em frente ao STF.

Ainda em seu pronunciamento, Ana Lula resgatou a história da caminhada de Cristo, fazendo a analogia de como está sendo a nossa caminhada, trazendo como exemplo a caminhada do Frei Sérgio Görjen, apontada para ela, como uma das caminhadas mais bonitas.  “No primeiro semestre frei Sérgio fez greve de fome na Câmara dos Deputados contra a Reforma da Previdência. Foram os pequenos produtores que conseguiram impedir que naquele momento a referida lei fosse aprovada. E mais uma vez frei Sérgio está no coração do Brasil em greve de fome”, ressaltou

Para Ana Lula, as políticas públicas estão congeladas há 20 anos,  e estamos vivendo uma situação em que os professores universitários, a exemplo do caso da professora Débora, da Universidade Federal de Brasília, que teve que sair do estado, em virtude de ameaças de morte, por causa das suas aulas, palestras e conferências motivadas pelos reacionários, fascistas do Brasil.

Ainda no uso da tribuna, a deputada Ana Lúcia trouxe mais três casos similares com o da professora de Brasília, que está acontecendo na universidade do ABC Paulista, universidade esta, segundo Ana, que foi criada e instalada pelo ex presidente Lula, porque participaram de lançamento de livro na universidade e estão respondendo inquérito para saberem se eles estavam fazendo apreço ao Lula e desapreço ao Temer. explicou.

” No dia de hoje, além da minha solidariedade aos guerreiros e guerreiras que tem e tiveram a coragem de colocar suas vidas e saúde em defesa da democracia, da soberania nacional em defesa da liberdade,  nós vamos estar sim, cada dia mais, movimentando o Brasil e Sergipe em defesa da liberdade de Lula, pelo direito da população definir quem deve governar esse país”, justificou

 

 

Por Luciana Botto –  Rede Alese

Foto: Jadilson Simões

Comente: