Luciano Bispo: “estou tranquilo, já recorremos e vamos seguir lutando”

Após o pronunciamento de solidariedade feito pelo deputado Gilmar Carvalho (PSC), o presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe, deputado estadual Luciano Bispo (MDB) se pronunciou sobre a decisão do pleno do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que, semana passada, indeferiu seu registro de candidatura para a eleição de 2018.

Luciano se disse tranquilo com a decisão e confirmou que sua assessoria jurídica já está viabilizando os recursos necessários. O deputado também negou qualquer envolvimento na prisão do prefeito de Itabaiana, Valmir dos Santos Costa, mais conhecido como “Valmir de Francisquinho”.

Ao manifestar sua gratidão a Gilmar Carvalho, Luciano Bispo disse que já entrou com os embargos contra a decisão no TSE e que está tranquilo. “Eu agradeço aos amigos pelas palavras de apoio. Se Deus quiser eu vou ganhar. Tenho alguns processos em minha vida, mas nenhum por ter desviado recursos do meu município”.

Luciano Bispo disse que já ganhou e já perdeu a eleição e que vai continuar lutando pelo direito de exercer seu mandato. “Eu estou sentido, estou chateado, mas não vou desanimar! Eu não vou correr e nem vou morrer. E nem abro mão de disputar a presidência dessa Casa. Aqui eu procurei ser o mais justo possível, tenho consciência do que fiz, ajudei muito a Assembleia e o Governo do Estado ao lado dos meus colegas. Essa mesma coisa eu venci há quatro anos por 7×0. Já recorremos, estou tranquilo e vou seguir lutando”, comentou.

Valmir de Francisquinho

Sobre a prisão do prefeito de Itabaiana, Luciano Bispo lembrou que comandou seu município por 16 anos e que fez muito pela cidade. “Eu trabalhei, eu lutei, horas acertei, horas errei. Algumas vezes fui punido pelo que não devia. Sobre a prisão do prefeito, nenhum dos políticos de Itabaiana é culpado! Usaram meu nome e o da deputada Maria Mendonça (PSDB). Nós nunca conversamos, continuamos adversários políticos, mas com respeito. Fui e sou adversário forte da família Mendonça”.

“O único culpado sobre a prisão foi o próprio Valmir de Francisquinho. Eu várias vezes disse no rádio que sabia o que era ser prefeito porque passei por ali 16 anos. Disse que ele estava brincando de ser prefeito. Eu disse que ele (Valmir) tivesse cuidado porque ele criou Valmir Cabral. Isso não me satisfaz em nada e sua prisão não me envaidece”, disse Luciano, enfatizando que “eu pedi que ele mudasse seu pensamento, alertei sobre os erros e ele não fez nada. Em nome de minhas filhas, eu não saio de minha casa para prejudicar ninguém. Muito menos Valmir”.

 

Por Habacuque Villacorte – Rede Alese

 

Foto: César de Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *