Gilmar: “O problema de Sergipe não é dinheiro, é gestão”

Na manhã desta quarta-feira, 14, o deputado Gilmar Carvalho, fez uso do plenário na Assembleia Legislativa, no pequeno expediente, para se solidarizar com os servidores públicos, que vem sofrendo pelos consecutivos parcelamentos salariais praticados pelo governo do Estado. O parlamentar se reportou, em especial, aos aposentados e pensionistas, que têm sido relegados, segundo ele, ao último plano, recebendo sempre depois dos ativos. Gilmar saudou os professores do Estado, presentes à Alese, para denunciar a desestruturação da educação em Sergipe e o parcelamento salarial para aposentados.

O deputado disse que chega a sentir saudades do governo Albano Franco, que mantinha um calendário anual de pagamento, permitindo ao servidor público ter conhecimento de seu pagamento durante todo o ano. “Quando percebíamos que no calendário, os aposentados e pensionistas despontavam como os últimos à receber, nós apelávamos pela Rádio Jornal, para que os aposentados recebessem primeiro e o governador Albano Franco nos atendia de imediato. O problema do Estado não é dinheiro é gestão”, disparou o deputado.

Gilmar observou que o governo de Alagoas, que não é melhor que o de Sergipe, do ponto de vista financeiro, que não é milionário, que possui enormes problemas e vai agora fazer uma recomposição salarial, paga o servidor em dia, cumprindo o calendário, dentro do mês. “Quando o atual governador de Alagoas, Renan Filho, PMDB como o governador Jackson Barreto de Sergipe, assumiu, não havia pagamento dentro do mês, e, sim, atrasos de até seis meses. O problema que temos aqui, reforço é gestão. É preciso melhorar nesse sentido, para transformar a situação do servidor e consequentemente elevar positivamente a condição do Estado”, ressaltou o parlamentar.

Sacrificados

Os professores do Estado compareceram à sessão plenária, desta quarta-feira, justamente para denunciar a desestrutura da gestão pública em Sergipe, fazendo entender que o Estado tem dívidas para com a educação e apresenta um calendário de pagamento irregular. O professor Joel Almeida, diretor de Comunicação do Sintese, disse que o parcelamento do salário dos aposentados, já anunciado para esse mês, sacrifica aqueles que já contribuíram para a educação em Sergipe.

Por, assessoria Parlamentar

Foto: Jadilson Simões

Deixe uma resposta