Durante seu programa Fala Sergipe, na manhã de hoje, 5, o deputado estadual Gilmar Carvalho apresentou um documento, com exclusividade, que comprova o erro de governo em ter tentado vender a DESO, provocando prejuízo aos cofres públicos.

No dia 26 de fevereiro, em cerimônia no auditório central da Deso, o governador Jackson Barreto descartou a possibilidade de privatização da empresa pública do estado e assinou o documento que confirmava o fim do contrato com o BNDES. O que não foi citado por ele e nem pelos seus assessores, foi o prejuízo que pode chegar a mais de R$ 2 milhões pela realização dos procedimentos para início da privatização

De acordo com o documento, em caso de rescisão do contrato o Estado ficaria obrigado a pagar R$ 1.800.000,00 pela realização do processo de licitação. Além disso, o documento registra o pagamento de R$ 318.000,00 em caso de não realização da licitação do projeto de privatização.

“Esse governo sem planejamento, sem gestão moderna, procurou o BNDES para assinar o contrato. Na época, eu fiz a denúncia. Pediram então o planejamento ao BNDES para saber se seria melhor uma Parceria Público-Privada ou a venda total da companhia de saneamento”, lembrou Gilmar.

O documento indica também que o Estado fica obrigado a ressarcir, em até R$ 4.375.900,00, o BNDES pelos gastos incorridos na contratação serviços técnicos de terceiros para licitação e início do processo de privatização.

“O Estado agora se arrepende e assina um documento na presença dos funcionários da Deso, em reunião ocorrida recentemente e fartamente divulgada, acabando com qualquer possibilidade de venda da empresa pública. Não devia nem ter começado, contratado o BNDES, mas como não tem planejamento, não tem gestão, acabou gerando um prejuízo milionário, equivalente a cerca de 2.300 salários mínimos”, criticou Gilmar

 

Da Assessoria da Parlamentar