Na manhã desta quarta-feira (17), o deputado estadual Georgeo Passos (PTC), ocupou a tribuna da sessão plenária para alertar os outros parlamentares sobra a falta do uso da mão de obra sergipana em obras de grande porte que estão sendo executadas em Sergipe.  De acordo com o parlamentar, as empresas estão contratando trabalhadores de outros estados para ocuparem as vagas existentes.
O deputado relatou que recebeu informações dos integrantes do movimento S.O.S Emprego de que a Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (Fafen) vai fazer uma parada de manutenção em julho e que existe uma expectativa de contratação de cerca de 1000 pessoas nessa parada,  mas que parte da mão de obra utilizada não será sergipana. Além disso, o parlamentar também fez o mesmo alerta em relação às obras da termelétrica que está sendo construída na Barra dos Coqueiros.

“Nós temos um problema sério da falta de emprego aqui em Sergipe e o que vemos é a falta de abertura de novos postos de trabalho por parte das empresas para a contratação de mão de obra local. Temos trabalhadores qualificados e especializados e infelizmente não existe o aproveitamento destes profissionais. Em 2016, no lançamento da pedra fundamental da termelétrica que está sendo instalada na Barra dos Coqueiros, o governador garantiu que boa parte da mão de obra utilizada seria a dos sergipanos. Porém,  soubemos que essa contratação da mão de obra local não está acontecendo”, pontua Georgeo.

Para o deputado, está faltando um entendimento entre o Governo do Estado e a empresa responsável pela construção da termelétrica para alinhar essa questão. Segundo ele, os benefícios fiscais que foram concedidos deveriam compensar na questão da contratação dos profissionais sergipanos.

“O Governo do Estado precisa fazer contato com as empresas responsáveis pela construção da termelétrica para saber o que está acontecendo, já que sabemos que o acordo foi conceder incentivos fiscais em troca da contratação da mão de obra local. O governo tem que exigir que pelo menos uma parte das vagas seja preenchida pela mão de obra sergipana”, conclui o deputado.

Por Assessoria Parlamentar