Georgeo faz avaliação do primeiro ano da gestão de Belivaldo em SE

O líder da bancada de oposição na Assembleia Legislativa, deputado estadual Georgeo Passos (REDE), ocupou a tribuna na manhã dessa quinta-feira (4), para fazer uma avaliação sobre o primeiro ano da gestão do governador Belivaldo Chagas (PSD), que está à frente do Executivo desde 7 de abril de 2018, após a renúncia do ex-governador Jackson Barreto (MDB), que disputaria a eleição para senador da República, mais adiante.

Georgeo iniciou seu pronunciamento fazendo menção a Simão Dias, dizendo que “o Governo está uma tragédia! Não é um governo que está começando agora em janeiro, como o de Jair Bolsonaro (PSL), mas já tem quase 365 dias. E o que vimos neste período, além da quebradeira da gestão? Acredito que nada! Os governos de Jackson E Belivaldo são siameses”.

O líder da oposição pontuou que até agora os servidores públicos do Estado continuam sem receber seus rendimentos dentro do mês trabalhado. “Sabemos das dificuldades, mas esperávamos que alguém que já estava no governo, como Belivaldo, chegaria com uma performance diferente, com um estilo diferente. Tivemos mais do mesmo! Aposentados, que é quem mais precisa, só recebem depois do dia 12. Não há sequer a reposição da inflação. Só conseguiram pagar em dia nas vésperas da eleição de 2016, quando conseguiram beneficiar o candidatos deles para prefeito de Aracaju”.

Sobre os fornecedores, Georgeo diz que a reclamação também é muito grande. “Muita gente que prestou serviços ao Estado está esperando dois, três ou até quatro meses sem receber. Existem empresas fechando porque não têm capital de giro e não estão suportando o calote desse governo, agravando ainda mais a crise sergipana”.

Georgeo enfatizou que em algumas áreas, durante esse período de um ano, a prestação dos serviços até piorou. “No Turismo, por exemplo, Sergipe tem muitas potencialidades, poderia se tornar um roteiro, e não vemos nada! Alagoas, Bahia, Pernambuco e os demais se destacando e Sergipe afundando. O CIC com uma obra interminável. Quantos eventos deixamos de realizar? Na Orla precisamos de uma manutenção constante e não vemos nada. Para onde vão os turistas?”, questionou.

Sobre a Educação, Georgeo lembrou que os professores continuam sem receber o piso nacional do magistério. “Um compromisso idealizado pelo governo do PT que nem JB e nem Belivaldo conseguiram honrar! Em setembro, antes da eleição, chegou um projeto aqui com a uma tabela para melhorar a situação do professor que valeria em dezembro”, colocou.

Na Segurança Pública, Georgeo focou na interdição parcial do Quartel do Comando da Polícia Militar em Aracaju. “É o maior exemplo do descaso com a Segurança Pública! A sede da PM, onde fica o comandante e o staff da segurança, sob risco de desabamento segundo a Defesa Civil. A nossa segurança está destruída! Esse é um cenário não muito diferente de batalhões, delegacias e companhias. Não encontramos melhoras nesses 365 dias, infelizmente”.

Por fim, Georgeo disse que a oposição faz seu trabalho e não torce pelo pior. “O fracasso desse governo é o fracasso do povo sergipano. Infelizmente só essa semana que o governador se alertou para a necessidade de se fazer uma reunião de planejamento. Isso quase um ano sentado na cadeira. Só em janeiro e fevereiro de 2019 o Estado teve mais de R$ 90 milhões na Receita Líquida em comparação com o mesmo período do ano passado”.

“João Alves Filho deixou várias marcas no Estado; Marcelo Déda (in memoriam) também; e o que deixou Jackson? E o que tem deixado Belivaldo até agora? Vivemos sob um desgoverno da década perdida e talvez o seu grande presente para o povo sergipano, neste primeiro ano de mandato, seja o arrendamento da DESO”, acrescentou, sendo aparteado e apoiado pela deputada Kitty Lima (REDE), que pediu para subscrever todo o pronunciamento.  “Ele (Belivaldo) está no comando há muito tempo e não tem essa conversinha que não teve tempo”.

Foto: Jadílson Simões

Por Habacuque Villacorte – Rede Alese

Comente: