Sergipano cria culinária com ingredientes da caatinga

Conhecido como chef do Sertão, Timóteo Domingos, criou um novo conceito do que é atualmente chamada de gastrotinga, a gastronomia que se utiliza de todos os ingredientes do bioma caatinga. O segredo da nova arte da culinária é aproveitar plantas nativas do sertão como palmas, xique-xique, cactos, facheiros e outras mais, que antes só serviam para alimentação do gado, e colocá-las na composição de seu cardápio.

Transformar uma planta espinhosa em um alimento comestível e de cunho gastronômico da alta culinária não foi problema para Timóteo. Ele começou seu oficio ainda quando criança, fazendo doces, salgados e outras comidas utilizando esses ingredientes da caatinga como complemento. Com o passar do tempo, passou a ter suas próprias receitas e a vender seus produtos na escola em que estudava, tendo grande aprovação de seus colegas que degustavam de seus sabores.

O sabor que tem atraído cada vez mais admiradores que aprovam cada prato proporciona a experiência de valorizar tudo que o sertão tem de melhor, mostrando a verdadeira raiz local, na essência dos sabores sertanejos. Chef Timóteo lembra que “junto com isto comecei a pensar vários elementos que fazem a cultura sertaneja ser tão conhecida e tão rica como ela é”.

Segundo Timóteo, a gastrotinga é uma mistura de raízes culturais, como o forró pé-de-serra, xaxado, baião e o artesanato. “Pequei tudo isto e agreguei ao meu estilo de cozinhar. A partir de então me utilizei de receitas e decidi criar um conceito que representasse muito bem o povo sertanejo. Foi daí que surgiu a gastrotinga. Apesar de muitos desses ingredientes terem sido comum na alimentação da população durante o período de secas, essa nova culinária hoje esta quebrando preconceitos. Ao degustar qualquer prato, as pessoas fazem aquela cara de estranheza, mas após provar, a receptividade tem sido grande, isto desde os pratos até a sobremesa”, diz o Chef Timóteo

Comente: