Mercado de Lagarto movimentará economia da região

Foram R$ 16.329.441,90 investidos pelo Governo de Sergipe, para dar comodidade e conforto aos comerciantes e consumidores

Com a reforma e ampliação do mercado, a população de Lagarto em breve passará a dispor de um centro de compras moderno, arejado e limpo. Foram R$ 16.329.441,90 investidos pelo Governo de Sergipe, para dar comodidade e conforto aos comerciantes e consumidores.  O governador Jackson Barreto entregou a obra em dezembro e a  prefeitura do município está providenciando a licitação dos boxes para fazer a entrega aos feirantes. Os investimentos contaram com recursos do Programa de Apoio ao Investimento dos Estados (Proinveste). São 521 boxes, 28 lanchonetes, 22 banheiros, 11 quiosques e estacionamento. Serão comercializados pescados, carnes variadas, cereais e hortifrutigranjeiro.

DCIM100MEDIADJI_0025.JPG

O mercado ocupa uma área construída de 9.510,79 m² da rua Laudelino Freire, uma das principais da cidade. O prédio tem dois pavimentos, sendo que o térreo tem 6.752.40 m² e é dividido em dois setores. Um dos setores tem 298 boxes destinados a comercialização de frutas, legumes, verduras e cereais, com prateleiras em metal e depósito internos. O outro setor tem 223 boxes para pescados e carnes variadas.

Apesar da prefeitura ainda não ter aberto as portas do mercado, os feirantes já estão ansiosos para poderem trabalhar num novo prédio totalmente reformado e ampliado. É o caso de Antônio Ribeiro de Almeida, que acredita na melhora do serviço. “Vamos atrair novos clientes com este novo mercado. Vamos poder ampliar a oferta dos nossos produtos e dispor de uma maior variedade. O mercado é um presente do governo para o povo de Lagarto”, afirmou.

José Amâncio de Menezes, fiscal do município, espera que em breve o mercado seja aberto. Como consumidor, ele acredita que vai melhorar a economia do município e o feirante vai contar com um espaço digno para vender seus produtos e atrair os clientes. “A obra é uma maravilha. Estamos ansiosos para o funcionamento”, ressaltou.

A dona de casa Cristina Cardoso está ansiosa pela abertura do mercado por acreditar que no novo espaço os alimentos serão mais higienizados e livres de bactérias. “Vai ficar melhor para todos, pois teremos um espaço organizado, moderno e limpo”, acredita.

No pavimento superior, o mercado dispõe de uma praça de alimentação com 28 lanchonetes, setor administrativo com copa, ponto bancário, posto da guarda municipal, câmara fria, ambulatório, três banheiros masculinos, três femininos e dois infantis, totalizando 2.758.39m² de área, sem contar que, em todo espaço, os usuários irão dispor de vista panorâmica da cidade.

Para atender aos usuários dos dois módulos, ao todo, foram construídos 12 banheiros masculinos e 10 femininos. Em volta da área externa foram instalados 11 quiosques, estacionamento com 69 vagas, área para carga e descarga de caminhões, rampas de acessibilidade em todo entorno, além de projeto paisagístico com plantação de árvores nativas da região.

“O novo espaço conta com tudo que há de mais moderno para oferecer qualidade e satisfação para clientes e comerciantes do município. É mais uma obra do Proinveste que vai mudar a vida dos cidadãos”, disse o secretário de Estado de Infraestrutura, Valmor Barbosa.

Acessibilidade

A acessibilidade está garantida com a instalação de rampa ligando os dois pavimentos, em todo o entorno da edificação, bem como no acesso entre um módulo e outro. Há também aplicação do piso tátil direcional e de alerta, sem contar nos banheiros específicos em todos os pavimentos. A iluminação interna conta com luminárias modernas e de alta potência, além de lâmpadas de emergência. Na parte externa, 16 postes de quatro pétalas forma implantados, sendo oito de 9m e mais oito de 16m, o que dará maior visibilidade à edificação no período noturno.

Para garantir a integridade dos clientes e comerciantes, o sistema de segurança conta com tubulação de incêndio em todo o espaço, instalação de hidrômetros, alerta sonoro, extintores e placas de sinalização distribuídas em todos os corredores dos módulos e pavimentos.

Câmara frigorífica

Com investimentos na ordem de R$ 1.847.741,90, de recursos estaduais, a câmara frigorífica construída é destinada ao armazenamento de carne bovina, com capacidade para 120 bois e opera com uma temperatura média de 0ºC (zero grau) a +5ºC para produtos resfriados (carnes). O mercado conta ainda com câmara de lixo refrigerada; estrutura de isolamento térmico das paredes, pisos e tetos da Câmara frigorífica e câmara de lixo; impermeabilização de laje com manta asfáltica; calha de drenagem com grelha em aço inox; piso em cerâmica industrial com propriedades antiácida; revestimento cerâmico até o teto e abrigo em grade de ferro para proteção das unidades condensadoras.

Para atender a legislação vigente da Anvisa e garantir a qualidade no processamento e manuseio do produto, foram instalados equipamentos em aço inox para higiene pessoal e de utensílios lava botas, lavador de avental, esterilizador de facas e lavatório com acionamento pelo joelho.

Os manuseios das peças de carne bovina serão feitos por sistema de trilhagem aérea em aço 1021 ASA, composto de tendal de embarque ou recepção; tendal de estocagem dentro da câmara e sistemas de trilhos para deslocamento das mesmas por toda a área onde for necessário, conforme projeto. Foram implantadas, ainda, amplas bancadas em aço inox, com largura de 1,60m instaladas na sala de processamento de carnes.

“Essa câmara fria requer todos os cuidados para que não haja contaminação nos alimentos e que seja garantida a qualidade das carnes ofertadas no mercado. Seguindo orientação da Vigilância Sanitária, o projeto contempla, além da área da câmara fria, áreas específicas para lixo refrigerado, higienização, desossa e processamento de carnes, sanitários e vestiários para funcionários Seguimos à risca todas as orientações, pois temos a responsabilidade de oferecer o que há de melhor para população beneficiada. É uma obra que, além de melhorar a economia do município, trará mais saúde e higiene para a população”, concluiu Valmor Barbosa.

Deixe uma resposta