Jackson pretende construir mais duas mil casas em Sergipe

Na companhia do secretário de Infraestrutura, Valmor Barbosa, e do diretor presidente da Deso, Carlos Melo, o governador pontuou a necessidade de construção de habitacionais nos municípios de Aracaju, Nossa Senhora do Socorro, Maruim, Riachuelo e Santa Rosa de Lima

Nesta quarta-feira, 15, o governador Jackson Barreto esteve com o ministro das Cidades, Bruno Araújo, para tratar da liberação de recursos para construção de casas populares e do Sistema Integrado Piauitinga, em Lagarto. Na companhia do secretário de Infraestrutura, Valmor Barbosa, do diretor presidente da Deso, Carlos Melo e do representante do Governo de Sergipe em Brasília, Heleno Silva, o governador pontuou a necessidade de construção de 2.000 unidades habitacionais nos municípios de Aracaju, Nossa Senhora do Socorro, Maruim, Riachuelo e Santa Rosa de Lima.

“Nosso governo tem como prioridade a construção de casas populares para a população carente de nosso estado. Investir  em habitação é dar dignidade para as pessoas, que passam a ter uma identidade social, por meio do endereço fixo, além de toda a infraestrutura disponibilizada, como esgoto, energia, água.  Viemos no Ministério das Cidades buscar mais recursos para viabilizar a construção de duas mil casas na capital e interior ”, disse.

O governador informou que a redução do déficit habitacional no estado é prioridade de sua gestão, que, desde 2015, construiu mais de 12 mil unidades, um investimento de R$ 345,5 milhões.  São exemplos desses empreendimentos a construção de 580 unidades habitacionais no Conjunto Residencial Senador José Eduardo Dutra, em Aracaju, e a construção de 600 unidades habitacionais no Conjunto Habitacional Professora Neuzice Barreto de Lima, no município de Nossa Senhora do Socorro.

Os dois conjuntos habitacionais, bem como toda sua infraestrutura, foram construídos pelo Governo de Sergipe no âmbito do Programa Pró-Moradia, resultando de parceria com o Governo Federal, por via do Ministério das Cidades, tendo a Caixa Econômica Federal como agente financeiro. As 1.180 unidades habitacionais destinaram-se a famílias de baixa renda que antes viviam em condições precárias e o investimento foi superior a R$ 59 milhões, tendo o governo do Estado aportado, a título de contrapartida, um montante de R$ 19.632.877,43.

Em Tobias Barreto, estão em fase de conclusão os residenciais Agripino Bernardo I e II. As 610 casas correspondem a um investimento total de R$ 43.495.451,16. A gestão estadual é responsável pela execução da infraestrutura dos conjuntos habitacionais, são recursos da ordem R$ 8.725.451,06.

O secretário de Estado de Infraestrutura, Valmor Barbosa, informou que o ministro ficou de analisar a demanda de Sergipe e que o déficit habitacional dos municípios serão observados. “O ministro falou que analisaria o pleito apresentado em cima do déficit habitacional de cada estado e dos municípios. As novas unidades habitacionais devem seguir as novas regras do Programa de Habitação Social Minha Casa, Minha Vida, as quais serão apresentadas pelo Ministério das Cidades até o fim do mês. É importante destacar o trabalho do governo do Estado na área de moradia. De 2008 até 2016, foram construídas 15 mil casas. Temos residenciais para entregar em Tobias Barreto e Estância, em fase de conclusão”, disse.

Sistema Integrado Piauitinga

A aprovação da SPA (Síntese do Projeto Aprovado) do projeto de ampliação do Sistema Integrado Piauitinga, em Lagarto, também foi tema da audiência. O governador informou que, somente com a aprovação, os editais de licitação para contratação das obras poderão ser lançados.

O investimento na ampliação do sistema de abastecimento de Lagarto está orçado em R$ 83.514.821,00.

Comente: