Governo firma parceria com 27 municípios para implantação do projeto “Arborizar-SE”

Arborizar-SE visa o plantio de espécies, preferencialmente, nativas, em áreas urbanas, contribuindo com o paisagismo e resgate do microclima local

O Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), firmou parceria com 27 municípios para a implantação do projeto “Arborizar-SE”, que visa o plantio de espécies, preferencialmente, nativas, em áreas urbanas, contribuindo com o paisagismo e resgate do microclima local. As assinaturas das adesões correram na manhã desta quarta-feira, 20, durante reunião de apresentação do projeto aos representantes dos municípios participantes, coordenada pela Superintendência de Biodiversidade e Floresta (SBF) da Semarh.

Amparo do São Francisco, Arauá, Canindé de São Francisco, Carmópolis, Cumbe, Divina Pastora, Itaporanga D’Ajuda, Japaratuba, Muribeca, Nossa Senhora da Aparecida, Nossa Senhora da Glória, Pedrinhas, Propriá, Ribeirópolis, Rosário do Catete, Santo Amaro das Brotas, Siriri, Tobias Barreto, Umbaúba, Frei Paulo, Gararu, General Maynard, Graccho Cardoso, Poço Verde, Santa Rosa de Lima e Telha participam da iniciativa.

Para o superintende da SBF, Elísio Marinho, a adesão dos municípios representa, entre outras coisas, a preocupação com o meio ambiente. “Os municípios aderiram espontaneamente ao projeto, demonstrando que têm preocupação com o meio ambiente, principalmente com relação à arborização urbana, já que quase todas a cidades estão repletas de espécies exóticas invasoras, que não retratam o bioma local e não agregam em nada a paisagem e a cultura do município. Nesse sentido, a gente vem tentando mudar esse cenário. O projeto Arborizar-SE foi pensado para resgatar a questão do bioma local, resgatar a paisagem urbana, possibilitando mudança no microclima, trazendo a fauna de volta para cidade, deixando esses espaços públicos, seja avenidas ou praças, cada vez mais agradáveis”, explicou Elísio.

O projeto, conforme o superintendente, além de trabalhar a parte de arborização urbana, visa resgatar a identidade da árvore símbolo do município. “Cabe à Secretaria de Educação dos municípios fazerem a eleição dessas árvores nas escolas. A Semarh apresenta uma lista de espécies nativas e eles escolhem. Em Sergipe, nós sabemos que a árvore símbolo é a mangabeira; em nível de Brasil, o Ipê. Uma vez escolhida a espécie, por meio de decreto municipal, será proibido o corte dessa espécie. Antes desse processo, vamos proferir palestra nesses municípios para conscientizar as pessoas sobre a importância da biodiversidade local e urbanização”, completou ele.

A bióloga da Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente do município de Canindé de São Francisco, Andressa Amorim, disse que, no decorrer da história, a arborização foi inserida de forma aleatória. “Hoje, nós estamos vendo alguns danos que foram ocasionados por isso. Temos várias áreas físicas sendo danificadas por plantação de espécies irregulares, forçando o município a fazer sucessivas podas ou consertos em calçadas, porque elas não são árvores adaptadas para aquela área que foi disponibilizada e isso compromete a arborização e as estruturas físicas do município. O projeto Arborizar-SE vem corrigir esses equívocos”, afirmou ela, que na ocasião apresentou um projeto semelhante executado pelo município há seis anos, denominado “Canindé Sempre Verde”.

O geógrafo Paulo Adriano, secretário de Meio Ambiente de Graccho Cardoso, classificou como “fundamental” estabelecer a parceria. “Porque os municípios não têm condições financeiras e técnicas para elaborar esse tipo de projeto. Não é somente arborizar as áreas urbanas, mas, antes de tudo, pensar como plantar espécies nativas de acordo com o local. Lá em Graccho há um exemplo interessante. Há algum tempo, a prefeitura plantou mudas que não eram nativas da região e elas não se adaptaram. Com esse projeto, queremos corrigir isso e arborizar áreas que não têm mudas nativas”.

Paulo disse ainda que está firmando parceria com a Semarh para plantar mudas nas seis escolas da cidade, as quais foram reformadas recentemente. “A Semarh está de parabéns, porque é uma secretaria que dialoga com todos os municípios”.

Deixe uma resposta