Governo adota medidas para prevenir entrada da peste suína clássica em Sergipe

Em razão de foco identificado em Traipu (AL), Emdagro alerta postos de divisas e suspende emissão de GTA em municípios próximos

Em virtude do foco de peste suína clássica identificado no município de Traipu, em Alagoas, a Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe – Emdagro já está adotando todas as medidas preventivas indicadas no Plano de Contingência para Peste Suína. Como o município de Gararu fica na área perifocal – a 7 km do foco -, os fiscais da Emdagro estão sendo deslocados para locais estrategicamente definidos e os postos de divisas já estão em alerta, bem como os veterinários e pecuaristas da região. A Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri) tranquiliza a população e ressalta que a peste suína clássica não é uma zoonose, não apresentando risco de transmissão ao ser humano.

Os riscos econômicos, no entanto, são expressivos. Preservar a sanidade dos rebanhos é necessário para evitar danos às exportações. Uma das medidas já adotadas pela Emdagro foi a suspensão da emissão de GTA [Guia de Trânsito Animal] nos municípios de Gararu, Lourdes, Canhoba e Itabi. “A emissão já foi bloqueada no SIAPEC, e não poderá emitir blocado. O veterinário de Gararu já está coletando material para exame sorológico, entre outras ações. Os regionais e escritórios locais da Empresa estão em alerta máximo”, disse Aparecida Andrade, diretora de Defesa Animal e Vegetal da Emdagro.

O Estado de Sergipe faz parte do circuito que recebeu, em 2016, o reconhecimento internacional de área livre de Peste Suína Clássica, e o governo de Sergipe vem envidando esforços para manter o estado livre da doença. Na sexta-feira (11), o secretário André Bomfim, o presidente e a diretora de Defesa Animal da Emdagro, Jefferson Feitoza e Aparecida Andrade, estiveram em Alagoas, para alinhar com o governo local, medidas de prevenção do alastramento da peste suína para o estado vizinho.

“A sanidade dos nossos rebanhos é de extrema importância, tanto para a população quanto para economia. E, por essa razão, temos dialogado com gestores da Agricultura de todo o Nordeste desde o início do ano, buscando alinhar ações para evitar que a peste suína venha de outros estados para cá. O presidente da Emdagro, Jefferson Feitosa, está atento e, com sua equipe técnica, está seguindo o plano de contingência”, disse André Bomfim, secretário de Estado da Agricultura.

A Peste Suína Clássica é causada por um vírus contagioso [mas não a seres humanos]. Na sua forma aguda, ela é caracterizada por febre alta; os animais ficam amontoados; apresentam lesões hemorrágicas (avermelhadas) na pele e extremidades (membros, orelhas, focinho e cauda); apresentam falta de apetite e fraqueza; conjuntivite; e alta mortalidade, podendo ocorrer em 5 a 14 dias após o início do ciclo da doença. Na sua forma crônica, a peste suína clássica se manifesta através de apetite irregular, febre e diarreia; recuperação aparente, com recaída posterior e morte; problemas reprodutivos (aborto, natimorto e repetição do cio); pelo nascimento de leitões fracos e debilitados; e pelo retardo no crescimento.

A Emdagro orienta os produtores que adquiram reprodutores apenas de Granjas de Reprodutores de Suídeos Certificados (GRSC); que se certifiquem que os animais comprados são de rebanhos saudáveis; que sempre transitem com os animais acompanhados do GTA; que não alimentem os suínos com restos de alimentos; que controlem a entrada de veículos e pessoas nas suas propriedades; e que mantenham o cadastro sempre atualizado junto à Emdagro. Em caso de suspeita de animal com peste suína clássica, o produtor deve procurar imediatamente o escritório da Emdagro mais próximo, ou ligar para (79) 3234-2624.

Comente: