Festa em homenagem à Praça São Francisco reúne famílias inteiras em São Cristóvão

DSC_9523As Cores, a música, a tradição e a alegria invadiram as ruas da 4º cidade mais antiga do Brasil dando tom e ritmo as comemorações do quinto ano do recebimento da chancela de Patrimônio da Humanidade, concedido à Praça São Francisco. Embalada pelo som dos grupos folclóricos a comunidade foi à praça, no último sábado, 01, celebrar toda a riqueza cultural que encantou os turistas vindos dos quatro cantos do país e que é símbolo do povo sancristovense.

A artesã Márcia Arévalo trouxe toda a família para participar das festividades. Acompanhada do esposo e dos três filhos ela visitou a exposição dos quadros do pintor sergipano Pedro Silva, além de participar da roda de leitura sobre o escritor Manoel Ferreira. “Sempre que um evento cultural sobre a Praça São Francisco é realizado eu procuro vir com os meus pequenos, pois acho muito importante fazê-los conhecer a história e as tradições culturais da cidade onde vivem. Ainda mais sendo São Cristóvão que é berço da cultura sergipana”, afirma.

Já as irmãs Mariane e Luiza Santiago, que vieram da Paraíba, elogiaram o rico acervo do Museu Histórico de Sergipe (MHS) e a exposição de barcos artesanais produzidos pela oficina de modelagem naval organizada pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). “Essa é uma cidade onde conseguimos respirar cultura. Em cada canto que visitamos nos sentíamos numa época diferente, é uma verdadeira viagem no tempo. Adoramos também ver a alegria e a animação dos integrantes dos grupos folclóricos, eles parecem incansáveis”, afirmaram.

Os bonecos gigantes, a Caceteira do Rindú, o Samba de Coco da Paz, as Taieiras União e o Reisado de Satu fizeram o povo dançar ao ouvir o batuque dos tambores, o apito dos mestres e o som dos tamancos batendo nas pedras que fazem o calçamento da cidade. “É isso que queremos ver: O povo nas ruas celebrando o orgulho de ser sancristovense. Fico muito feliz de presenciar as apresentações desses grupos, pois eles são a marca da cultura do nosso município e precisam se manter vivos e fortes, levando nossa tradição. Para mim, enquanto prefeito, é uma felicidade enorme poder presenciar tudo isso e vamos trabalhar ainda mais para fazer crescer o prazer de morar nessa cidade. É com essa visão que estamos trabalhando para renovar a esperança de dias melhores para o povo de São Cristóvão, com ações estruturantes e pensadas para promover o progresso do nosso município, que serão possíveis graças ao equilíbrio fiscal que foi priorizado desde o início da gestão”, garante Jorjão.

Organização

Mesmo com as dificuldades enfrentadas para organizar toda a festa o sucesso do evento foi considerado como muito gratificante e recompensador pela diretora-presidente da Fundação Municipal de Cultura e Turismo “João Bebe Água” (Fundact), Dilene Job. “É muito bom ver que o fruto de tanta dedicação e trabalho foi uma festa tão linda e participativa como esta. Ver a praça lotada de famílias e participando de tudo o que organizamos com tanto carinho é maravilhoso. Temos que preservar o que é nosso e fazer com que as pessoas reconheçam a riqueza inestimável que temos aqui, desde a arquitetura dos nossos prédios históricos até as pessoas que fazem São Cristóvão ser essa maravilha de cidade”, acredita.

Já para a chefe do escritório técnico do IPHAN em São Cristóvão, Kleckstane Lucena, a festa foi resultado da união entre a gestão municipal, o estado e o governo federal. “Desde que recebemos o título nós realizamos pequenas ações de comemoração para lembrar as pessoas da importância da praça. Esse ano resolvemos fazer diferente e trabalhando juntos unimos nossas pequenas ações para montar essa grande festa. O título de Patrimônio da Humanidade traz não apenas uma lente de aumento do mundo para o nosso município, e precisamos aproveitar essa visibilidade e fazer com que o mundo conheça a nossa história e a nossa gente”.

A expectativa do diretor do Museu Histórico de Sergipe (MHS), Sérgio Lacerda, é a de que a cada ano essa parceria se fortaleça e eventos ainda maiores sejam realizados em homenagem à Praça São Francisco. “Pra todos nós que fazemos esse evento acontecer é muito gratificante ver as pessoas participando e gostando do que estão vendo. Apesar das dificuldades financeiras que enfrentamos é preciso ver a cultura como algo vital para a população. Fico imensamente feliz de ver a cultura recebendo essa força e espero que nos próximos anos ela continue ainda mais bela. São Cristóvão é o berço da cultura sergipana e a terra natal de vários artistas, poetas, músicos, não podemos deixar que o mundo esqueça disso”.

Chancela

A Praça São Francisco em São Cristóvão é o 18º dos 19 sítios tombados como Patrimônio da Humanidade, no Brasil. No mês de julho a cidade foi a segunda a instituir e dar início aos trabalhos do ‘Grupo Gestor’, formado por representantes da Prefeitura de São Cristóvão, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e do Governo do Estado, e tem como objetivo preservar toda a parte arquitetônica e cultural, que envolve a praça.

Para auxiliar nessa missão tão importante se faz necessária também a colaboração fundamental dos moradores, da igreja, da Câmara de Vereadores e das associações folclóricas que mantém viva as tradições culturais na quarta cidade mais antiga do país. Com o recebimento do título o município agraciado, junto com os seus parceiros, se compromete a preservar esse bem, para que ele seja mantido como centro vivo da cultura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *