Capela e Japaratuba recebem seminários do Mão Amiga Cana

Ao longo da semana, serão realizados, ainda, os seminários em Areia Branca, Laranjeiras, Japoatã, São Francisco e Muribeca

O vice-governador Belivaldo Chagas esteve nesta terça-feira, 29, nos municípios de Capela e Japaratuba para dar prosseguimento aos seminários do Programa Mão Amiga Cana de Açúcar. Os seminários se iniciaram na segunda-feira, 28, nos municípios de Nossa Senhora das Dores e Siriri. O Programa é uma ação do governo do Estado, por meio da secretaria de Estado da Mulher, Inclusão e Assistência Social, do Trabalho, dos Direitos Humanos e da Juventude (Seidh), com o intuito de amenizar os efeitos do desemprego nas vidas dos trabalhadores no período da entressafra dos cultivos. Ao longo da semana, serão realizados seminários em Areia Branca, Laranjeiras, Japoatã, São Francisco e Muribeca.

Carla Fernanda dos Santos trabalha como catadora de cana.  Com o marido desempregado e quatro filhos para cuidar, a trabalhadora rural revelou que a ajuda que recebe do governo do Estado é muito importante para complementar o orçamento familiar. “A situação é difícil, só melhora quando a usina chama a gente para trabalhar. Enquanto não trabalhamos, esse benefício que recebemos ajuda muito a pagar algumas contas. Além disso, é importante termos acesso às informações que são passadas nos seminários porque são importantes para desempenharmos nossas funções e melhorar nossas condições de vida. Estou muito feliz pelo benefício e pelos seminários”, ressaltou a trabalhadora rural.

O Programa Mão Amiga prevê a participação dos beneficiários no seminário de capacitação. No evento, os agricultores recebem orientações sobre o programa, informações sobre outros benefícios públicos e sobre o desenvolvimento do cultivo da cana no município. A presença do trabalhador é fundamental, pois sua participação é pré-requisito para a manutenção do benefício no Programa.

Em Capela, o Programa contempla 981 beneficiados, nos povoados de Pedras, Cuminho, Pirunga, Terra Dura, Miranda, Barracas, S. José, Campo da Aviação, Saúde, Igrejinha, Lagoa Seca. O investimento referente às duas primeiras parcelas de 2017 é de R$ 372.780,00. Ao final, deverão ser investidos R$ 745.560,00. De 2015 a 2017 já foram investidos R$ 1.430.700,00, beneficiando 2.373 agricultores no Programa. Desde 2010, no entanto, já foram investidos no Programa Mão Amiga, em Capela, R$ 4.212.300,00 beneficiando 6.031 agricultores.

“Esse é mais um encontro do programa Mão Amiga. Aproveitamos para promover palestras, orientá-los na questão de saúde, doenças sexualmente transmissíveis e também no que diz respeito ao manejo e uso do material relacionado ao agrotóxico que eles precisam utilizar no plantio da cana. Enfim, é o governo se fazendo presente e cuidando bem das pessoas. São quase seis meses do período entressafra e o pessoal depende dessa renda para sobreviver.  Eles trabalham em função disso, então quando o governo chega com uma ajuda, que para uns é simbólica,  mas que para eles é extremamente importante. É o governo usando recursos próprios, apesar das dificuldades, apesar da crise, para tratar bem dessas pessoas que precisam de atenção e carinho do governo do Estado”, declarou  Belivaldo Chagas.

Para o secretário de Estado da Mulher, Inclusão e Assistência Social, do Trabalho, dos Direitos Humanos e da Juventude (Seidh), Zezinho Sobral, mais importante do que o benefício é poder levar informações aos trabalhadores rurais. “O governo, além de patrocinar e realizar um programa de distribuição de renda, também realiza o trabalho de inclusão, conscientizando a comunidade. Trazemos informações sobre a sua saúde, sobre o seu desempenho como cidadão, as suas possibilidades, capacidades. Através dos seminários, eles recebem o apoio do governo tanto na área social quanto na área de saúde, nas praticas de trabalho, através do uso de equipamentos. Enfim, é uma ação importante que dá ao trabalhador identidade, enpoderamento e capacidade de articulação”, frisou.

Na oportunidade, a prefeita de Capela, Silvany Sukita, ressaltou a parceria do governo do Estado com a secretaria de Assistência Social do município. “Essa parceria vem para engrandecer e melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores rurais do nosso município, que passam por períodos de muita dificuldade. A gente fica feliz porque estamos trazendo uma parte educativa também”, disse.

Japaratuba

Em Japaratuba, o Programa contempla 221 beneficiados, nos povoados de Sibalde, Travessão, Badajós, Caraíbas, Curral dos Bois, Encruzilhada e Mundo Novo. O investimento referente às duas primeiras parcelas de 2017 é de R$ 83.980,00. O investimento final previsto é R$ 167.960,00De 2015 a 2017 já foram investidos R$ 420.660,00 beneficiando 664 agricultores no Programa Mão Amiga. Desde 2010, no entanto, já foram investidos no Programa R$ 1.048.420,00 contemplando 1.490 beneficiários.

Para a prefeita de Japaratuba, Lara Moura, o Programa desempenha uma função social muito importante porque distribui renda e proporciona informações importantes à população. “É muito importante porque são famílias beneficiadas que passam quatro meses com este benefício e recebem capacitação sobre equipamento de segurança no trabalho, doenças sexualmente transmissíveis. Enfim, uma infinidade de informações que serão muito importantes para eles”.

O presidente do sindicato dos trabalhadores rurais de Japaratuba, Benedito Cardoso, falou da satisfação que é para todos os trabalhadores rurais da região. Assim como Deisiane Melo, representante dos trabalhadores rurais do município de Capela, que salientou as informações  que os seminários trazem aos trabalhadores.

O trabalhador rural Alisson Santos, 33 anos, acredita que os conhecimentos passados pelos seminários são fundamentais para uma melhor qualidade de vida. “A gente que trabalha na roça não tem acesso a muita informação e quando nos é passado ajuda bastante” esclareceu.

Da mesma maneira revelou Marcelo Santos Barreto, 35 anos. “Acho que todos os assuntos que são passados vão nos ajudar no nosso trabalho diário”, disse.
Durante o seminário em Capela, o vice-governador Belivaldo Chagas recebeu em nome do governador Jackson Barreto, o prêmio Anderson de Melo, pela contribuição na realização da Festa do Mastro realizada no município de Capela.

Mão Amiga 

O Programa Mão Amiga foi criado em 2009 com o intuito de promover transferência de renda aos trabalhadores rurais da laranja e da cana-de- açúcar durante a entressafra. Desde sua criação, já investiu R$ 45.230.070,00 nas entressafras da cana e da laranja, pagando 61.615 benefícios.

O Programa de Transferência de Renda e Geração de Cidadania ‘Mão Amiga’ atende a 14 municípios sergipanos da citricultura e 20 da cultura da cana de açúcar. De 2015 a 2017 já investiu R$ 6.833.920,00 nos 20 municípios da Cana com 11.043 benefícios pagos. Somente na cultura da Cana, o investimento desde 2010, foi de R$ 18.689.160,00 com 26.642 benefícios pagos.

O Mão Amiga paga um benefício total de R$ 760,00 divididos em quatro parcelas de R$ 190,00, cada, durante os quatro meses da entressafra de cada cultura agrícola. O benefício se estende às famílias de agricultores que estejam inscritas no Cadastro Único do governo Federal para benefícios em programas sociais. As parcelas são pagas como complementação de renda durante a entressafra da citricultura e da cultura da cana de açúcar.

Comente: