Cangaceiros da Boa vence concurso de quadrilhas juninas em Maruim

 

Com o tema “Um soberano país, de onde brotam os fortes”, a japaratubense Cangaceiros da Boa venceu o 1º concurso de quadrilhas do Vale do Cotinguiba, realizado no último sábado (16), no ginásio de esportes do Sesi, em Maruim/SE. Promovido por Max Eventos, o evento contou com o apoio da Prefeitura de Maruim, através da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo.

Das doze quadrilhas juninas inscritas, quatro não compareceram por motivos de força maior: Forró do Catete, do município de Rosário do Catete; Unidos do Arrasta Pé, de Itaporanga D’ Ajuda; Balanço do Nordeste, de Umbaúba e Encanto Matuto, de Nossa Senhora do Socorro. Oito quadrilhas disputaram a premiação: Xote Baião, de Rosário do Catete; Remelexo, de Santana do São Francisco; Xodó da Vila, de Aracaju; Cangaceiros da Boa, de Japaratuba; Amor Caipira e Caprichosos, de Capela; Meu Xodó, de São Cristóvão; Arryba Saya, de Lagarto.

A Cangaceiros da Boa, de Japaratuba, venceu com 88,4 pontos, segundo o jurado técnico. A Xodó da Vila, de Aracaju, ficou com o segundo lugar com 88,3 pontos. A terceira colocada foi a quadrilha do município de Lagarto, Arryba Saya, com 86,5 pontos. A Cangaceiros da Boa ainda ganhou o título do melhor casal de noivos e o melhor casal de Lampião e Maria Bonita. O melhor marcador ficou para a Xodó da Vila.

Os jurados avaliaram as quadrilhas através do alinhamento, harmonia e a coreografia, conforme regulamento geral. Para a quadrilha campeã, o prêmio correspondeu a quantia de R$ 1 mil e troféu; o segundo lugar ganhou R$ 500,00 e troféu; e o terceiro lugar garantiu um troféu.

prefeito de Maruim, Jeferson Santana,parabenizou as quadrilhas juninas pelo esforço e pelas apresentações. “Percebemos um show de apresentações das quadrilhas juninas, que enriquecem nossa cultura, e promove o bem, através das doações dos alimentos, tanto pelo público, como pelos componentes das quadrilhas, que contribuíram com alimentos no ato das inscrições. Segundo a organização, os alimentos arrecadados serão distribuídos aos mais carentes do município”, pontuou.

secretário municipal de Cultura e Turismo, Gilton Rezende, destacou a disputa ponto a ponto das quadrilhas. “Foram décimos valiosos na disputa, por exemplo, o título da campeã foi decidido por um décimo. Isso demonstra o belo trabalho apresentado pelas quadrilhas juninas, que ficava evidente a cada apresentação. Uma mais bela que a outra”, afirmou.

A Cangaceiros da Boa

Fundada em 1992, no Colégio Emiliano Nunes de Moura, município de Japaratuba/SE, pelos professores, Marisa Ramos, Gilvan Costa, Luciano Acciole, Marinoé Gonzaga, Gleide Ramos e pelo jovem Robson Marques, a Cangaceiros da Boa possui algumas honrarias como o tetracampeonato sergipano; o título de campeã nacional, em Belo Horizonte/MG; campeã do concurso da Rua São João, em Aracaju/SE; bicampeã em Rosário do Catete/SE; primeira quadrilha do Brasil a dançar no Salão Negro do Congresso Nacional, em Brasília/DF; campeã do concurso da Associação de Quadrilhas Juninas de Sergipe (ASQUAJU-SE); terceira colocada no concurso nacional da Confederação Nacional de Quadrilhas Juninas e Grupos Folcloricos – CONAQJ;campeão do concurso de quadrilha do Gonzagão, em Aracaju/SE.

Em 2018, a Cangaceiros da Boa voltou a desfilar, após uma pausa no ano passado. O tema trabalhado neste ano: “Um soberano país, de onde brotam os fortes”, que destaca as potencialidades da região do Nordeste e do seu povo. A quadrilha destaca uma hipotética independência do Nordeste e aborda o sofrimento enfrentado pelos nordestinos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *